terça-feira, 29 de abril de 2008

Pentecostalismo

O que é Pentecostes?


Resposta: É um nome dado a uma das festas judaicas (o Sábado Semanal; Páscoa e Pães Asmos; Primícias; Pentecostes (semanas); Festa das Trombetas; Dia da Expiação, Festa dos Tabernáculos), eram festas levíticas que tinham três objetivos básicos: 1- Político: manter a nação unida por meio de convocações regulares; 2- Social: Renovar amizades nas festas da colheita; 3- Religioso: Adorar ao Deus da aliança e lembrar o relacionamento com Ele baseado na aliança.


No caso da Festa de Pentecostes, recebeu este nome justamente por ser comemorada no qüinquagésimo dia depois do segundo dia da Páscoa. Os judeus a chamava de festa das Semanas, visto que se observava sete semanas depois da Páscoa.


Obs. 1: Como o judaísmo é uma das mais antigas religiões, estas festas ainda são observadas, principalmente entre os judeus ortodoxos.


Obs. 2: Estas festas são mencionadas nos dias de Cristo. Exemplos:

- Sábado: Mateus 12:10; Marcos 1:21; Lucas 6:5; João 5:16;
- Páscoa: Mateus 26:18; Marcos 14:12; Lucas 2:41; João 6:4;
- Pentecostes: Atos 2:1; I Coríntios 16:8.


Pergunta: O que é Pentecostalismo?


Resposta: É um movimento-Seita que tem como convicção de que os dons milagrosos ou os sinais que o Senhor Jesus deu "aos Apóstolos" e às igrejas primitivas não cessaram, e que ainda estão disponíveis e sendo exercitados por cristãos hoje. O Pentecostalismo reivindica que Deus ainda dá dons milagrosos para o homem hoje.


É conhecido também como movimento carismático (principalmente nos meios católicos). Ele surgiu mais ou menos no ano de 1.900, num grupo de metodistas e depois entre batistas e presbiterianos.


Há três grupos deste movimento:


1º Grupo: enfatiza e fala em línguas estranhas, tendo como ponto de expansão a Igreja Missão Apostólica da Fé em Los Angeles, que em 1914 teve seu nome mudado para a Assembléia de Deus. O ponto principal de sua pregação era que só tinha o Espírito Santo quem falava em línguas. Outra igreja, é a Congregação Cristã que seu fundador era Presbiteriano e os fundadores da Assembléia no Brasil foram um ex-Pastor e um irmão excluídos da Fé Batista. "Este grupo é mais legislador."


2º Grupo: Conhecido como a segunda geração de Pentecostais, surgiram a partir de 1950 após grandes cruzadas pelo país, surgindo então a Quadrangular, Brasil Para Cristo, Igreja Nova Vida, Deus é Amor, Só o Senhor é Deus, Casa da Benção e outras, fundadas por ex-membros delas mesmas, com seus cultos mais desorganizados ainda e menos exigentes como as Assembléia e os Cristã.


3º Grupo: Chamados Neopentecostais ou 3ª geração dos pentecostais. Eles não se apegava a questão de roupas, de televisão ou de costumes, tem um jeito diferente pra falar de Deus, e para eles o mundo está tomado por demônios e seu dever é expulsá-los (doença=demônio), pregam a prosperidade como meio de vida (pobreza é coisa do diabo), seus cultos são sempre "emotivos" objetivando uma libertação do mundo satânico, possuem como ponto forte a "adoração coletiva" que é realizada em ritmo festivo e alegre, que segundo eles é o momento quando todos se fazem um, no Espírito Santo e se preparam para receber os dons espirituais. O clima dos cultos é emocional e envolvente criado pelo uso de música popular, de diversos estilos (pra agradar todas as tribos), sua música adora o "Espírito Santo" e exalta o "EU".


Eles visam romper barreiras entre o Religioso e o popular e que na adoração a cultura de cada povo não pode ficar de lado, trazendo o profano pra dentro da igreja (danças, festas, teatros).


A maior delas é a Universal seguida pela Internacional da Graça, Renascer em Cristo e infelizmente algumas "Batistas" como a da Lagoinha, Belo Horizonte, Minas Gerais. Negam o "Ide e Pregai o Evangelho", Marcos 16:15


Tiveram seu início em 1950 e foram seguidos pelos Católicos em 1960 que só conseguiram o agrado do Papa em 1975.


Refutação


Dom do Espírito Santo: Ele já existia antes do Pentecostes Gênesis 1:2; Neemias 9:20; Salmos 51:11; Isaías 63:10; 2 Pedro 1:21.


No dia de Pentecostes ele foi derramado em primeiro lugar para dar autoridade aos apóstolos como líderes da igreja capacitados, ou seja, ordenados por Cristo em Marcos 16:14 ao 18 (ver o 17). Em segundo lugar, como parte da profecia de Joel 2:28; Mateus 3:11; Atos 2:17. Em terceiro lugar, autorizar a igreja, Atos 1:4 ao 8. Em quarto lugar, como Consolador residente e mestre dos crentes João 14:16,17; I João 2:20, 27. Em quinto lugar, para convencer o mundo, João 16:8 ao 11.


Os dons extra-ordinários foram dados aos Apóstolos: Atos 10:39 ao 42; João 15:27; Atos 1:22; I Coríntios 15:5.


É errado dar Ênfase ao Espírito Santo: João 16:13 e 14; Atos 1:8


Experiência Humana é enganosa: Isaías 8:20


Um só Batismo: Efésios 1:13; 4:30


Fruto do Espírito: Gálatas 5:22 - Produz quem tem o Espírito Santo.


Fim da Era Apostólica: Ninguém mais tem o poder de usar ou dispensar dons a outros. Gálatas 1:8,9; I Coríntios 15:8 ao 10; I Coríntios 14:40


Comparação Batismo do Espírito Santo e o Fogo: Mateus 3:11 - Atos 1:5


O que a Bíblia diz Sobre os Pentecostais: Romanos 16:17; I Coríntios 5:11; II Coríntios 11:4; II João 9-10; II Coríntios 6:14 ao 17; Gálatas 1:6 ao 10; Mateus 7:15 ao 23.


Bibliografia


HATCHER, John Albert, Conheça o Espírito Santo
HATCHER, Paul, Conheça Melhor o Antigo Testamento
JUSTICE, Laurence A., Uma Igreja Batista Deve Abraçar o Pentecostalismo.
REIS, Aníbal Perreira, Católicos Carismáticos e Pentecostais Católicos;
SIMMONS, Thomas Paul, Estudo Sistemático de Doutrina Bíblica.
STEFANO, Gilberto, Historia das Igrejas Cristãs, estudo não publicado.


Fabio Roberto Guedes

Grandes pregadores da prosperidade e da saúde perfeita

Como terminaram alguns dos grandes pregadores da prosperidade e da saúde perfeita


1. E. W. Kennyon faleceu vitima de um tumor maligno.

2. John Wimber e seu filho Chris morreram de câncer.

3. A . A. Allen morreu de alcoolismo.

4. John Lake morreu de um colapso.

5. Gordon Lindsey morreu do coração.

6. O cunhado de Kenneth Haigin morreu de câncer.

7. O mesmo aconteceu à sua irmã.

8. Sua esposa foi operada e o próprio Haigin usou óculos até morrer.

9. Kathryn Khulmann morreu do coração.

10. Daisy Osborne morreu de câncer, jurando que havia sido curada.

11. Jamie Buckingham morreu de câncer.

12. Fred Price conseguiu uma quimioterapia para a sua esposa.

13. John Osteen procurou ajuda médica para curar o câncer da esposa.

14. A esposa de Charles Capps fez tratamento médico de câncer e também Joyce Meyer.

15. Mack Timberlake está se tratando de um câncer na garganta.

16. R. W. Shambach fez quatro pontes safenas.

17. O Profeta Keith Greyton morreu de AIDS.


Isso é uma prova convincente não são bem assim como pregam entusiasticamente esses "profetas" do materialismo. Por ai percebe-se que não vivem o que pregam!


Mary Schultz

Ventos de Doutrinas

Modismos e Heresias Ameaçam Igrejas Brasileiras

Não é nenhuma novidade que apareçam divulgadores de heresias no seio da igreja, mas nos últimos tempos a igreja brasileira tem sofrido a influencia do grupo musical gospel Diante do Trono, da Igreja Batista da Lagoinha de Belo Horizonte - MG. Este grupo é o que mais vende CDs "evangélicos" no Brasil e tem influenciado fortemente a "juventude evangélica" brasileira, tendo fama de "ungidos". A Igreja Batista da Lagoinha tem se tornado referência a tal ponto de haver caravanas para ir assistir seus cultos e conhecer a igreja. Só que, tal igreja tem disseminado um festival de doutrinas anti-biblicas. A IBL partilha dos ideais do MIR (Ministério Internacional de Restauração). Esse ministério tem sido o principal responsável pela disseminação do G12 em terras brasileiras e é presidido por seu fundador René Terra Nova, que afirma ser "Apostolo". Umas das principais aliadas de Terra Nova é Valnice Milhomens do Ministério Palavra da Fé, uma pregadora da teologia da prosperidade, famosa por pregar heresias.

Entre as falsas doutrinas que o MIR e demais adeptos de sua visão tem pregado, estão doutrinas que assemelham à doutrinas: católico romanas, judaicas e mormonitas. A IBL já adotou, não só o G12 , mas também a onda de "restauração do apostolado" ungindo Marcio Valadão, seu pastor presidente, "Apostolo", além de ter cedido seu templo para a consagração de René Terranova "Apostolo" do Brasil e da América Latina, culto este que teve a presença da "Apostola" Valnice Milhomens, já citada e do "Apostolo" Mike Shea, conhecido por ministrar louvor de costas, características esta da igreja ortodoxa antioquina.

Vamos analisar algumas doutrinas e práticas propagadas por esses movimentos:

Teologia da Prosperidade

O IBGE trouxe uma constatação chocante para a ideologia dos propagadores da teologia da prosperidade no Brasil... Foi comprovado, no último censo de 2006, que os evangélicos são os que mais contribuem com a sua religião, apesar disso, são os religiosos mais pobres do País. Ou seja, essa teologia na prática não funciona. Bem, com a palavra os pregadores da prosperidade!

Essa é uma das doutrinas principais pregada por todos esses movimentos. Trata-se de uma substituição do Evangelho da Graça, pelo "evangelho" da ganância. Oral Roberts, um dos principais pregadores dessa heresia, chegou a escrever um livro intitulado How i learned Jesus Was Not Poor ("Como aprendi que Jesus Não foi Pobre") É comum ouvimos da boca dos pregadores da prosperidade coisas do tipo: " Você é filho do Rei, não tem por que levar uma vida derrotada." A principio uma frase dessas pode até pode parecer ortodoxa. Mas, o que muitos talvez não saibam, é que para esses pregadores, "vida derrotada" é igual a ser pobre, ter dificuldades financeiras, ficar doente etc. T.L Osborn, ensina em seu livro Curai Enfermos e Expulsai Demônios , que Paulo jamais esteve doente contradizendo o seguinte texto: "E vós sabeis que vos preguei o evangelho a primeira vez por causa de uma enfermidade física. E, posto que a minha enfermidade na carne vos foi uma tentação, contudo, não me revelastes desprezo nem desgosto; antes, me recebestes como anjo de Deus, como o próprio Cristo Jesus". (Gal 4.13,14). É interessante saber que Osborn no começo de seu ministério se apoiou em líderes heréticos como William Marrion Branham.

T. L. Osborn, no folheto intitulado Um Homem Chamado William Branham, escreveu o seguinte: Esta geração está incumbida: uma geração na qual Deus tem caminhado em carne humana na forma de um Profeta. Deus tem visitado seu povo. Porque Um grande Profeta Tem-se Levantado entre Nós". Osborn trata a pessoa de Branham como se fosse o próprio Deus. Em outro lugar no mesmo folheto, diz: "Deus tem enviado o irmão Branham no século 20 e tem feito a mesma coisa. Deus em carne, novamente passando por nossos caminhos, e muitos não o conheceram. Eles tampouco o teriam conhecido se tivessem vivido no tempo em que Deus cruzou seus caminhos no corpo chamado Jesus, o Cristo."

A teologia da prosperidade une o fútil ao desagradável, ou seja, é uma mistura de ganância e comodismo. Os adeptos da teologia da prosperidade acham que nós temos direito de reivindicarmos o que quisermos de Deus, esquecendo da Soberania Divina. Cito abaixo alguns textos bíblicos, que refutam esse evangelho falso, que promete ao homem uma vida de prosperidade material, atiçando-lhe a ganância.
 
"Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam; mas ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam, nem roubam"; (Mat. 6.19,20)

"é enfatuado, nada entende, mas tem mania por questões e contendas de palavras, de que nascem inveja, provocação, difamações, suspeitas malignas, altercações sem fim, por homens cuja mente é pervertida e privados da verdade, supondo que a piedade é fonte de lucro. De fato, grande fonte de lucro é a piedade com o contentamento. Porque nada temos trazido para o mundo, nem coisa alguma podemos levar dele. Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes. Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição. Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores. Tu, porém, ó homem de Deus, foge destas coisas; antes, segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a constância, a mansidão." (1 Timóteo 6.4-11)

Restauração da igreja primitiva com apóstolos e profetas

Ha mais de duzentos anos o mormonismo vem pregando uma "restauração" da igreja primitiva composta por Profetas, Apóstolos etc. Nesses últimos tempos uma doutrina parecida tem sido divulgada no Brasil por igrejas evangélicas em especial as adeptas do G12. Vale lembrar, que há séculos a Igreja Romana prega a doutrina da sucessão apostólica, tendo o Papa como sucessor de Pedro. O texto base de tais igrejas, normalmente é Ef 4.11, tirado de seu contexto. Jesus escolheu doze apóstolos, dos quais Judas Iscariotes se suicidou, ficando 11. Depois Matias foi acolhido apóstolo para ser junto com os onze testemunha da ressurreição do Senhor (At 1.21-26), posteriormente, Paulo foi chamado pelo próprio Senhor para ser apóstolo e mesmo assim se considerava um abortivo, como nascido fora de tempo por ter sido o ultimo a ver o Senhor (1 Coríntios 15.7-9). Se a instituição de apóstolos na igreja fosse algo necessário até a vinda do Senhor, Paulo não teria razão para fazer tal afirmação. Depois que morreu o ultimo apóstolo, nunca mais ninguém na igreja primitiva foi reconhecido ou ordenado Apóstolo. O dom de profecia é para a exortação edificação e consolação, não para dirigir a vida de ninguém ou para transmitir ordenanças a igreja, e muito menos para dar "autoridade" sobre quem quer que seja (cf.1 Coríntios 14.3).

Confissão de Pecados aos Lideres

Tiago 5:16 "Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo."

Esse texto tem sido usado para tentar provar que temos que confessar nossos pecados para sermos de alguma forma, libertos. Certa vez ouvi um dos integrantes de uma banda gospel, vinculada a uma comunidade que pratica o G12, dizer que quem não confessar seus pecados aos seus pastores ou lideres, para que eles liberassem a "benção do perdão", sofreriam ações diabólicas. Isso parece a doutrina católico romana da confissão auricular. O Texto Bíblico acima refere-se ao ensino de Jesus, sobre perdoar o irmão que pecar contra nós. Tiago está exortando a igreja à reconciliação e ao perdão mútuo. Veja, que antes dele falar em cura, ele fala em oração..."orai uns pelos outros para serem curados" é a Ação Divina em resposta a oração que cura e restaura, física e espiritualmente, e não a confissão auricular. Somente a Deus devemos confessar nossos pecados.

Praticas Judaizantes

Valnice Milhomens, em entrevista à revista Vinde declarou: "Meu contato com Israel me mostrou várias coisas, como os dias proféticos, as alianças: 'seis dias trabalharás e ao sétimo descansarás'. Êxodo 31 declara que o sábado é o sinal de uma aliança perpétua e da volta de Cristo."

A Sra. Milhomens, contradiz frontalmente o ensino neotestamentario do fim da Lei mosaica em Cristo Jesus (Rom 14.5, Col 2.16, Ef 2.15, Gal 3.23-25). Da mesma forma a circuncisão era uma aliança perpetua e nem por isso ela a instituiu em sua igreja (Gen 17 10-14). Esta Sra já chegou declarar que Jesus iria vir em um Sábado de 2007, sendo que o próprio Senhor Jesus, declarou que o dia e a hora de sua vinda ninguém sabe. (Mat 24:36,43,50 - 25:13).

MIR ("Apóstolo" Terra Nova)

"As festas bíblicas são ordens sagradas do Senhor. Elas não são apenas judaicas; são, antes de mais nada, do Senhor, declaradas como estatuto eterno" (Lv. 23:1-44). (site do MIR)

"O Encontro de Levitas é um Encontro voltado para o resgate do Ministério Levítico dentro da Visão Celular no Governo dos 12. Esse encontro traz princípios e conceitos sobre os levitas, todo o histórico desde o seus surgimento até os nossos dias". (site do MIR)

Com respeito a celebrar a festa dos tabernáculos veremos como era observada:

"Fala aos filhos de Israel, dizendo: Aos quinze dias deste mês sétimo, será a Festa dos Tabernáculos ao SENHOR, por sete dias. Ao primeiro dia, haverá santa convocação; nenhuma obra servil fareis. Sete dias oferecereis ofertas queimadas ao SENHOR; ao dia oitavo, tereis santa convocação e oferecereis ofertas queimadas ao SENHOR; é reunião solene, nenhuma obra servil fareis. São estas as festas fixas do SENHOR, que proclamareis para santas convocações, para oferecer ao SENHOR oferta queimada, holocausto e oferta de manjares, sacrifício e libações, cada qual em seu dia próprio," (Levítico 23.34-37)

Resta saber se eles realmente observam a Festa dos Tabernáculos como está prescrito na Lei. Se eles não observam dessa forma, não estão observando o preceito. Se observam, estão anulando o sacrifício de Cristo, oferecendo holocaustos e sacrifícios. Isso mostra o grau de apostasia em que o MIR está envolvido O Apostolo Paulo deixa bem claro que não precisamos observar os dias santos e cerimônias judaicas (Colossenses 2.16, Gálatas 4.9-11).

Levitas? Que absurdo! Não existe mais ministério Levítico nos dias atuais. O ministério levítico como o próprio nome já diz se refere aos integrantes da tribo de Levi. Portanto é heresia grosseira querer instituir esse ministério na igreja. O Novo Testamento ensina que o ministério Levítico cumpriu sua função e foi substituído pelo ministério de Cristo. (Heb 7:5-28)

Atos Proféticos

Mais um modismo! Esses atos proféticos estão baseados na crença de que o cristão faz ou diz, tem repercussão no mundo espiritual. Alguns chegam a blasfemar ensinado que assim como Deus, pela sua palavra falada, trouxe todas a coisas a existência, da mesma maneira, nós como sua imagem, podemos trazer coisas a existência pelo poder da palavra falada. Esse ensino é uma blasfêmia idolátrica, que procura assemelhar o homem a Deus. Esses atos proféticos normalmente tem como objetivo, "conquistar" cidades ou nações para o Reino de Deus. A palavra de Deus nos ensina a ganhar almas para o Reino de Deus através da pregação do evangelho de Jesus Cristo, e não através de "declarações de posse" ou de "orações reivindicatórias." Líderes de diversas comunidades ligadas ao G12 e ao apostolado contemporâneo, planejaram uma série de "atos proféticos" para a redenção do Brasil até 2007, o ano anunciado por Valnice Milhomens para o retorno de Cristo. O primeiro desses atos foi feito na Igreja Batista da Lagoinha em Belo Horizonte e o ultimo em Porto Alegre. Sinomar Ferreira falando sobre esses atos proféticos declarou: "Os atos proféticos são extremamente importantes, porque aquilo que é feito aqui na terra tem repercussão no céu" Isso mostra o caráter herético de tais atos, pois insinua que podemos manipular o mundo espiritual. Crença parecida com as dos Bruxos da Nova Era que acreditam poder manipular as forças da natureza através de palavras mágicas e encantamentos. [Vide o livro "A Sedução do Cristianismo" de Dave Hunt].

Que Pastores, lideres e membros de Igrejas, estejam vigilantes, para que ventos de doutrinas não invadam suas comunidades eclesiais, causando divisão e confusão em seu meio. Fica aqui um alerta: Antes de convidar alguém para pregar em suas igrejas, acampamentos, retiros etc. Procure se informar bem, sobre a linha doutrinária seguida por essa pessoa, para evitar futuros problemas.

Que Deus tenha Misericórdia da Igreja Evangélica Brasileira!

Francisco Belvedere Neto

Idolatria Gospel: Um show de Horrores

Qualquer cristão que tem o mínimo de conhecimento bíblico entende que Deus odeia a idolatria. Em 1 Coríntios 6:9 Deus alerta que os idólatras não herdarão o Reino dos céus. Em outra parte das escrituras lemos: "Não terás outros deuses diante de mim". (Êxodo 20:3). Podemos ficar horas e horas citando trechos bíblicos acerca da mesma verdade: Deus quer estar em primeiro lugar de nossas vidas. Aqueles que querem ser verdadeiros adoradores deverão ter olhos para um só Deus. Isto é uma verdade inquestionável.


Também é verdade que a Igreja precisa ter modelos, precisa ter exemplos de vida com Deus, exemplos em todas as áreas de liderança, pastoral, nas artes, missões etc. A estas pessoas chamamos de referenciais. Paulo era um referencial de sua época: "Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam". (Filipenses 3:17). Precisamos ter líderes que nos dirijam, que nos abençoem, que nos ajudem a chegar aos níveis já alcançados por eles, que nos dêem um norte em Deus.


Referenciais têm um enorme poder de influência sobre as pessoas como um todo. É por isso que quando algum destes referenciais cai em pecado, muitas pessoas caem em desilusão e os mais fracos tendem a abandonar a fé. Em geral, o povo é abalado quando um líder ou um referencial de grande influência comete falhas em público. E quanto maior a "bomba", maior é o estrago. A Bíblia alerta: "Não dando nós escândalo em coisa alguma, para que o nosso ministério não seja censurado..." (2 Coríntios 6:3).


Um erro grandioso que a Igreja de hoje tem cometido e sofrido sérias conseqüências é o pecado da idolatria. E fazemos isso dando uma série de boas desculpas esfarrapadas. Por exemplo, quando quero idolatrar meu cantor gospel preferido, exaltando-o sobre as alturas, falo às pessoas que ele é um grande homem de Deus, um referencial para mim. Aí faço desta pessoa meu ídolo, tendo em casa um altar para ele, com todos os seus CDS e livros, com todos os seus artigos escritos, com uma foto autografada, uma camisa do fã-clube e outros apetrechos que farão parte do meu devocional a este ídolo. Assim a pessoa acaba se tornando um idólatra, tornado seu próprio irmão na fé num deus. Atenção: Adorar também significa "devotar a vida".


Não há outras palavras para se dizer uma verdade dura que já está sendo ecoada no Brasil: a Igreja brasileira fez de seus referenciais grandes ídolos como o bezerro de ouro erguido pelo povo de Israel no deserto (Êxodo 32:4). Isto nós fizemos e por isso estamos pagando um preço tão caro. A Lei da Semeadura está valendo ainda hoje. A Igreja plantou idolatria, vai colher coisa ruim, maldição, destruição. Disto não duvidamos.


A Idolatria Evangélica Gospel Brasileira permitiu este show de horrores:


- Ídolos gospel que não "ministram" por menos de 15, 20, 30 mil reais.


- Ídolos gospel que decidiram por loucura própria fazer uma lista de exigências que nem Jesus, Paulo ou João fizeram quando exerciam seu ministério: hotéis 5 estrelas, frutas tropicais, água mineral de marcas específicas, dezenas de seguranças, carro blindado... e outras coisas que não vou pôr aqui pois não vão acreditar em mim.


- Ídolos gospel que são indiferentes e preconceituosos com certas cidades, regiões, raças, e condição espiritual. Por exemplo: tem gente que não "ministra" em certos lugares porque há muita frieza espiritual, eles só querem "ministrar" em lugares que já estão "avivados".


- Ídolos gospel que se isolam da liderança espiritual de sua igreja para não precisar responder a ninguém sobre seus trambiques e pecados. Aparentemente chegaram num nível tão alto que não precisam mais de pastor e de igreja para acompanha-los, agora podem caminhar sozinhos. Por isso temos visto tanto insubmissão e rebeldia em "ministério grande".


Quem é o responsável por este show de horrores? Quem é o culpado? Penso que o culpado somos todos nós que fazemos parte da igreja pois temos alimentado nossos ídolos. Damos a eles o que eles pedem, e é por isso que as exigências aumentam a cada dia. Enquanto pagamos 25 mil reais pra um irmão cantar num evento, deixamos missionários morrerem de fome aqui no Brasil e lá fora. E ainda dizemos: se o missionário passa fome é porque está em desobediência. Quanta hipocrisia!


A coisa está tão feia que ninguém pode denunciar os pecados da igreja. Se alguém se levanta contra essa pouca vergonha dos absurdos cachês e exigências, dos pecados escondidos, da rebeldia contra os pastores, da idolatria escrachada, da tietagem é rapidamente apedrejado pelos idólatras daquele determinado "deus gospel". É igualzinho no Velho Testamento: "não desrespeite o meu deus que eu não desrespeito o seu".


Meus irmãos não me entendam mal. Não me interpretem mal. Estou aqui tecendo pesadas críticas contra a idolatria. Estou denunciando o pecado, não o pecador! É disso que tenho nojo, e é contra este terrível pecado que temos que lutar. Se a Igreja não acordar colherá frutos tenebrosos. Se sabemos da existência de um Deus verdadeiro, se conhecemos o seu amor, e o trocamos deliberadamente por outros deuses, vamos pagar caro por isso. Aliás, já estamos pagando caro por isso!


Deixe-me fazer algumas perguntas que atualmente tem feito meu coração doer:


- Quanto Jesus cobrou para exercer seu ministério e morrer na cruz por nós?


- Qual foi o cachê que Paulo cobrou para ser aprisionado junto com Silas nas piores prisões da época?


- Quais foram as exigências de nossos irmãos que morreram recentemente na China por não negarem o Evangelho?


- Quanta glória Jesus quis tomar para si quanto o chamaram de bom mestre?


- Quantas viagens Paulo negou por não atenderem suas exigências?


Precisamos urgentemente de referenciais que apontem para Deus. Precisamos de mártires. Precisamos de humildade, simplicidade e pureza de espírito. Precisamos nos arrepender. Precisamos saber que "...o viver é Cristo, e o morrer é lucro". (Filipenses 1:21)


Quanto aos ídolos de ouro que levantamos.. . não precisamos deles!


"Então disse Jacó à sua família, e a todos os que com ele estavam: Tirai os deuses estranhos, que há no meio de vós, e purificai-vos, e mudai as vossas vestes". (Gênesis 35:2)


Ramon Tessmann

sexta-feira, 25 de abril de 2008

Apostasia Pastoral

Antigamente os pastores batistas eram bíblicos em sua maioria. Pregavam a Palavra de Deus, confiando e afirmando plenamente a sua inerrância, de modo a edificar os membros das igrejas onde pregavam.


Infelizmente, hoje em dia, quase todos já deixam os seminários repletos de heresias no cérebro e nos bolsos, para logo começarem a desencaminhar as ovelhas, sempre mais preocupados com o salário que vão receber e com e sua auto-realização do que com a pregação da verdade.


Depois de enveredarem pela teologia reconstrucionista/dominionista de fonte católica (Agostinho de Hipona), pelas "células" de Yonggi Cho, pelos  "propósitos" de Rick Warren, pelas "colheitas" de Rick Joyner, "pela teologia do auto-endeusamento" de Robert Schuller e dos "mestres da Palavra da fé", e pela "Oração Contemplativa" (ocultista) de Richard Foster e de outros "provedores" da Nova Era, eles têm causado irreversíveis danos às ovelhas que se alimentam de suas pregações, as quais nunca se dão ao trabalho de conferir os seus ensinos pela Palavra de Deus, conforme deveria agir todo cristão bereano. O que eu tenho visto em nossa igreja é gente cochilando, enquanto o pregador fala, o que às vezes é até benéfico, quando se trata de um desses pregadores (sobressalentes ou) modernos. Ontem  uma irmã confessou-me, candidamente, que sempre cochila, quando não gosta do pregador, ao que respondi: "Pois eu fico mais atenta ainda, a fim de checar as heresias que eles pregam".


Temos aqui o exemplo de um desses pastores, segundo denúncia recebida de um irmão com quem me correspondo na Internet: "Pastor  batista  afirma  que  a  história  de  Davi  e  Golias era  apenas  um  folclore  da  cultura  árabe. Ele também  diz  que  não  haverás  arrebatamento  coisa  nenhum,  pois  o  homem  apenas  morre  e  passa  para  a  eternidade. Ele diz  ainda que  muitos  católicos  entrarão  primeiro no  reino  dos  céus,  já  que  não  ficam  condenando   outras  igrejas etc."


Como se pode ver, além de negar a verdade bíblica, esse pastor liberal apóstata ainda valoriza a teologia dos papas, em vez da Palavra de Deus. Segundo o seu pensamento, criticar as igrejas heréticas é um "pecado mortal", o que nos leva à conclusão de que o Apóstolo Paulo, Judas e outros apóstolos de Cristo já estão penando no "inferno de fogo", em vez de estarem usufruindo as delícias espirituais prometidas no  "reino de Deus", segundo a 1 Coríntios 2:9: "As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, São as que Deus preparou para os que o amam".


Para os irresponsáveis espirituais que têm se tornado adeptos do Movimento Carismático, com os sinais, maravilhas e outras aberrações, alguns até mesmo se autodenominando "apóstolos", quero apresentar os seguintes versos de Paulo e Judas, respectivamente: "Porque [...] são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo". "... homens maus e enganadores [que] irão de mal para pior, enganando e sendo enganados". (2 Coríntios 11:13; 2 Timóteo 3:13). "Estes são manchas em vossas festas de amor, banqueteando-se convosco, e apascentando-se a si mesmos sem temor; são nuvens sem água, levadas pelos ventos de uma para outra parte; são como árvores murchas, infrutíferas, duas vezes mortas, desarraigadas; ondas impetuosas do mar, que escumam as suas mesmas abominações; estrelas errantes, para os quais está eternamente reservada a negrura das trevas" (Judas 1:12-13).


A grande novidade é a de certos pastores pregando a "infalibilidade pastoral". Tudo que não presta no Catolicismo Romano está sendo assimilado por essa cambada de enganadores espirituais. Daqui a pouco, todos eles estarão pregando o  purgatório e se ajoelhando diante das imagens de Maria e dos "santos", pois "água benta" e "óleo consagrado" eles já usam, sob os nomes de "água do Jordão" e "óleo de unção". Eles também já têm o seu "papa", o qual, usando o título de Líder do Movimento Apostólico, é nada menos que C. Peter Wagner.


Mary Schultze

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Marcha para Jesus?

Enquanto entrava na igreja, neste domingo passado, não pude deixar de perceber aquele lindo folheto. Ele era decorado, diferente, "bonitinho", realmente chamava a atenção. Estava logo ali, na entrada, atraindo minha aproximação. Quando me acheguei, percebi a linda mensagem que corajosa e empolgantemente dizia: Marcha para Jesus!

Por um momento, me senti desafiado. Fui envolvido por tamanha emoção que nem mesmo Tom Hanks poderia explicar quando interpretou o capitão Jonh H. Miller, no filme "O Resgate do Soldado Ryan". Ahhh... como esquecer! Sessenta anos se passaram e a batalha da Normandia continua sendo lembrada. O famoso Dia D, marcado pela marcha, luta e coragem vivida por tantos soldados.

E lá estava eu, diante daquele folheto, tomado por tal lembrança, poucos dias depois do aniversário da grande batalha da França. Pensei, então: "Marchar para Jesus, que desafio comprometedor!".

Como esquecer a última marcha, no ano passado? Na verdade, ela ficará marcada para sempre no meu coração. Não pela emoção do que vi, mas pela vergonha! Vergonha de um povo que marcha baseado na mentira, no engano e no pecado.

Percorrer a extensão das cidades? Fazer barulho ensurdecedor? Soltar fogos de artifício? Declarar a posse do Brasil?

Prendam este homens! São um atentado a República!

Mas Jesus não nos manda seguir os seus passos? Marchar como ele marchou?

Sim, mandou. Aliás, ele não marchou segurando um microfone, mas carregando uma cruz.

Não em cima de um Trio Elétrico, mas sobre as pedras da via dolorosa. Ele não cantava músicas de vitória, senão somente gemia pela dor dos açoites. Não percorreu o território de Jerusalém fazendo barulho, somente ouviram  os seus gritos pelos cravos no madeiro. Não tomou posse das cidades nem bradou o Brasil para Jesus, mas declarou com sua vida a vitória sobre a morte.

Nem mesmo a Batalha do Dia D, com todos navios, aviões, tiros e canhões fez tanto barulho e agito como fará a Marcha para Jesus. Lá, pelo menos, aqueles soldados marchavam de verdade e por isso alcançaram o seu objetivo, tomaram posse do território. Essa "marcha" nunca vai alcançar o seu alvo, e se o que eles dizem é verdade, então por quê não conquistaram o Brasil ainda? Há poder em suas palavras? Só se for o poder da mentira, a posse do engano, a vitória do pecado. Até a Marcha Gay, no centro de São Paulo, teve mais impacto na sociedade do que terá essa marcha.

Quem sai ganhando nesta história são os políticos, que irão marchar para Jesus e para ganhar mais votos nas eleições.

Os soldados "Ryans" perdidos pelo mundo e condenados a morte, que me desculpem, mas esta "marchinha" não poderá salvá-los.

Como diria um sábio professor: "O cristianismo não precisa de passeatas, mas de cristãos que vivam a verdade!". O cristianismo não precisa de "Marcha para Jesus", senão somente de homens que no lar, no trabalho, na escola e no meio do mundão vivam a verdade de Jesus Cristo. É fácil ser crente numa marcha que só faz barulho e toca música para dançar. Difícil é ser crente quando você está no meio da galera, quando o inimigo o tenta para o pecado, quando as circunstâncias se colocam contra você, quando lhe declaram um maluco fanático, quando lhe zombam pelas convicções que você tem, quando sua vida está em risco pela fé. Aí, eu quero ver você marchar!

Queremos que o Brasil conheça a Cristo?

É claro que sim. Mas isso só será alcançado através de uma marcha espiritual de cristãos que cumprem sua vocação. Não será uma "festa" para Jesus que irá alcançar o mundo perdido. Bem dizia Francisco de Assis, quando afirmou: "Pregue o evangelho e, se for necessário, até use palavras". Se ele visse a marcha para Jesus, seu recado seria: "Parem de gritar! Parem de fazer barulho! Apenas vivam a verdade!".

Coisas deste tipo não são novidade, já nos mostrava Deus em uma visão a Isaías: "Parem de trazer ofertas inúteis! O incenso de vocês é repugnante para mim [...] Não consigo suportar suas assembléias cheias de iniquidade. Suas festas [...] eu as odeio. Tornaram se um fardo para mim; não as suporto mais! [...] Parem de fazer o mal, aprendam a fazer o bem! (Isaías 1.13-17)

Se queremos conhecer o poder para transformar o mundo precisamos viver a verdade e dobrar os joelhos. Entender que Marcha para Jesus deve ser um estilo de vida e não uma festa, uma passeata. Esquecer esse papo de que há poder nas palavras e compreender que há poder é na oração. Meu conselho para você que vai participar da marcha é: entregue-se a esta realidade e participe da verdadeira marcha para Jesus.

Tiago Mattes
www.provoice.com.br

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Os Males do Tempo Presente e o Nosso Objetivo, Nossas Necessidades e Encorajamentos

Um dos grandes males do nosso tempo é o insaciável desejo por entretenimento. Que o homem deve descansar do trabalho e usufruir desses divertimentos como um refrigério para o corpo e a mente, ninguém deseja negar. Dentro de certos limites, a recreação é necessária e benéfica; mas fornecer entretenimento ao mundo nunca foi o propósito da Igreja Cristã.


Será que Cristo institui Sua Igreja para que ela oferecesse ao público peças de teatro e bonecos de cera vivos? Uma congregação dissidente, até onde sei, começou uma série de cultos especiais com um encontro social, e a noite foi gasta em uma série de inutilidades estúpidas; e dentre outras coisas os amigos reunidos brincaram de "dança das cadeiras"! Eu não sei se você entende o que essa brincadeira infantil significa. Pense em ministros do Evangelho e oficiais da igreja brincado de "dança das cadeiras"!


Há um anúncio pendente que afirma que, na semana que vem, deverá haver um "Punch and Judy show"* no mesmo local de adoração (assim chamado)! Está programado para isso acontecer juntamente com a pregação do sermão "Teu sacrifício de sangue, ó Cristo de Deus!".


Não, irmãos, deixem-me corrigir a mim mesmo; a pregação de Cristo normalmente cessa quando essa frivolidades aparecem. Essas coisas são tão opostas em espírito, que uma ou outra terá que ser abandonada; e nós sabemos qual delas será.


O que será feito em seguida em nossas igrejas? A que nível de absurdo os ministros do Evangelho ainda irão? Bobagens consideradas desprezíveis até pelos idiotas têm sido toleradas em nossas escolas. Ainda não chegamos a esse ponto, pessoalmente; mas, irmãos, nós mesmos devemos lutar arduamente contra isso, porque as pessoas são sempre muito entusiásticas em relação a essas vaidades, e há tantas sociedades e instituições mais ou menos remotamente conectadas com nossas igrejas que é difícil para nós guardar todas elas de desvios.


Irmãos, não estamos aqui para jogar fora o nosso tempo, mas para ganhar almas para Jesus e conduzi-las à felicidade eterna. Pela solenidade da morte, do julgamento e da eternidade, eu conclamo a todos vocês a manterem-se livres das tolices e das nulidades dos nossos dias. Observem detalhadamente como "a sabedoria deste mundo" e as suas bobagens parecem ser ótimos companheiros, e fujam de ambos com igual desprezo.


* Nota do tradutor: Espetáculo de marionetes inglês em que protagonizam o marido cruel Punch e a sua intrigante esposa Judy (derivado da commedia dell'arte italiana).


C.H. Spurgeon


(trecho do sermão extraído de http://www.spurgeon.org/misc/aarm10.htm)

Para Aqueles que têm Sede de Sonhos e Visões

Há alguns, e estes geralmente são os mais iletrados, que têm a expectativa de experimentar sonhos notáveis ou de ter visões singulares.


Eu às vezes fico surpreso de que ainda persista no meio do nosso povo uma noção de que certo tipo de sonho, especialmente se repetir-se várias vezes, e se for tão vívido que permaneça na imaginação por um longo período, é um sinal do favor divino. Nada poderia ser mais completamente falso, nada pode ser mais infundado e sem a menor sombra de evidência; e ainda assim muitos imaginam que se eles sofressem dolorosamente de indigestão de forma que seu sono fosse estragado por sonhos vívidos, então eles finalmente poderiam pôr sua confiança em Jesus Cristo.


A noção é tão absurda que se ela fosse tão somente mencionada a homens racionais, eles necessariamente teriam que ridicularizá-la. Ainda assim, conheço muitos que foram, e ainda são, escravos dessa ilusão.


Há pouco tempo, depois de pregar em uma distante vila do interior, fui procurado insistentemente como conselheiro espiritual por uma carta importuna de uma mulher que atribuiu a mim uma sabedoria que eu nunca reivindiquei possuir. Eu desejei saber qual era a dificuldade espiritual que ela tinha, e quando fui até a casa dela e a encontrei muito doente, fiquei entristecido ao ver que ela era vítima de uma superstição na qual temo que seu pastor a tinha confortado e, desta forma, confirmado. Ela me informou solenemente que ela tinha visto algo se levantando à noite do pé da sua cama. Ela estava esperançosa de que se tratasse do nosso abençoado Senhor, mas infelizmente ela não tinha conseguido ver a cabeça dele. Como eu conhecia tanto a respeito das coisas espirituais, será que eu poderia lhe dizer quem era?


Eu disse que eu achava que ela devia ter pendurado o vestido dela em um gancho na parede, ao pé da cama, e na escuridão tinha confundido-o com uma aparição.


É claro que isso não a satisfez. Eu caí imediatamente a zero no conceito dela, ao nível de um homem de mente extremamente carnal, se não um escarnecedor, mas eu nada pude fazer a respeito. Eu não podia flertar com uma superstição tão ridícula. Fui obrigado a lhe dizer que era bobagem ela ter esperança de salvação porque ela era tola o bastante para imaginar que tinha visto Jesus com seus olhos carnais, enquanto a visão salvífica sempre é espiritual.


Sobre a pergunta quanto ao fato da suposta aparição ter uma cabeça ou não, eu lhe disse que se ela usasse mais a sua própria cabeça e o seu coração, meditando na Palavra de Deus, ela estaria em uma condição bem mais esperançosa.


Podem ter havido, eu não negarei - porque coisas estranhas ás vezes acontecem - podem ter havido sonhos, e até mesmo aparições, que despertaram a consciência e assim conduziram ao princípio da vida espiritual em alguns raros casos em que Deus escolheu interferir de maneira especial. Mas que estes venham a ser procurados, e até aguardados, é uma coisa tão distante da verdade quanto o oriente do ocidente. E se você visse qualquer coisa, ou sonhasse qualquer coisa, o que isso prova? Ora, não prova absolutamente nada a não ser que você estava mal de saúde, e que sua imaginação encontrava-se morbidamente ativa.


Lance fora essas coisas, elas são superstições adequadas a povos não-civilizados, mas não são aceitáveis para cristãos do século dezenove. Eu apenas estou mencionando-as, não porque penso que qualquer de vocês tenha caído nelas, mas para que vocês sempre lidem com elas de forma extremamente rígida onde quer que se deparem com elas. Elas são superstições que não podem ser toleradas por homens cristãos. Entretanto há alguns que, de fato, não acreditarão no simples evangelho de Cristo a menos que algum absurdo desse tipo possa ser juntado a Ele.


Que Deus os livre de tal incredulidade.


C.H. Spurgeon


(trecho extraído do sermão Uma palavra com aqueles que esperam por sinais e maravilhas pregado em 31 de outubro de 1869)

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Procura-se: Velhos soldados para defenderem velhas verdades no Ano Novo

A igreja necessita grandemente de cristãos maduros, e especialmente quando há muitos novos convertidos sendo acrescentados a ela. Novos convertidos fornecem ímpeto à igreja, mas a sua espinha dorsal e a sua substância devem, sob Deus, repousar sobre os membros mais maduros.


Nós queremos os cristãos maduros no exército de Cristo fazendo o papel de veteranos, inspirando os demais com frieza, coragem e firmeza; porque se o exército inteiro for composto de recrutas inexperientes a tendência será que eles hesitem quando o assalto for mais feroz que o habitual.


A velha guarda, os homens que respiraram fumaça e comeram fogo anteriormente, não tremem quando a batalha se enfurece como uma tempestade. Eles podem até morrer, mas jamais se rendem. Quando eles ouvem o grito de "Avante," eles podem não avançar tão agilmente à frente como os soldados mais jovens, mas eles arrastam a artilharia pesada, e o seu avanço uma vez conquistado, é seguro. Eles não vacilam quando os tiros voam intensamente, porque eles se lembram de antigas batalhas em que Jeová cobriu suas cabeças. A igreja precisa, nestes dias de fragilidade e falta de compromisso, de crentes mais decididos, profundos, bem-instruídos e confirmados.


Nós somos assaltados por todo tipo de doutrinas novas. A velha fé é atacada por assim-chamados "reformadores" que adorariam reformá-la completamente. Eu espero ouvir notícias de alguma doutrina nova uma vez por semana. Tão freqüentemente como a lua muda, um ou outro profeta é movido a propor alguma nova teoria, e acreditem, ele lutará mais bravamente por sua novidade do que jamais fez pelo Evangelho. O descobridor se acha um Lutero moderno, e da sua doutrina ele pensa como Davi pensou da espada de Golias: "Não há outra semelhante."*


Como Martinho Lutero disse de alguns nos seus dias, estes inventores de novas doutrinas encaram suas descobertas como uma vaca diante de um portão novo, como se não houvesse nada mais no mundo para se encarar. Eles esperam que todos nós fiquemos loucos por seus modismos e marchemos de acordo com o seu apito. Ao que nós damos ouvidos? Não, nem por uma hora.


Eles podem reunir uma tropa de recrutas inexperientes e conduzirem-nos para onde quiserem, mas para crentes confirmados eles soam suas cornetas em vão. Crianças correm atrás de qualquer brinquedo novo; em qualquer pequena apresentação de rua os garotos ficam todos excitados, boquiabertos; mas os seus pais têm trabalho por fazer, e suas mães têm outros assuntos em casa; aquele tambor e aquele apito não vão atraí-los.


Pela solidez da igreja, pela firmeza da fé, por sua defesa contra os recursivos ataques de hereges e infiéis, e pelo avanço permanente dela e a conquista de novas províncias para Cristo, nós não queremos apenas seu sangue jovem, quente, o qual esperamos que Deus sempre nos envie pois é de imensa utilidade e não poderíamos ficar sem. Mas nós também precisamos dos corações frios, firmes, bem-disciplinados e profundamente experimentados de homens que conhecem por experiência a verdade de Deus, e atém-se firmemente ao que aprenderam na escola de Cristo.


Que o Senhor nosso Deus nos envie muitos desses. Eles são extremamente necessários.


--------------------------------------------------------------------------------


* N.T.: Referência a 1 Sm 21:9


Autor: C.H. Spurgeon
Fonte: Trecho extraído do sermão Fruto Maduro pregado em 14 de Agosto de 1870.
Publicado por Phil Johnson no site Pyromaniacs.
Tradução: Juliano Heyse


www.bomcaminho.com

terça-feira, 1 de abril de 2008

Queria apenas ser um batista

O que me incomoda e me aborrece é não poder ser batista - com toda a história, o sangue dos mártires, a responsabilidade e a seriedade intrínseca neste nome - dentro de uma igreja dita batista.

Sou obrigado a conviver com praticas pentecostais, totalmente contrárias a Bíblia e a nossa Declaração de fé, porém não posso defender a são doutrina pois "irá ofender este ou aquele", especialmente se "estes ou aqueles" forem de uma família influente da igreja;

Sou obrigado a tolerar chavões pragmáticos e tolos tais como "tome posse", "caía por terra", "mova as águas", "derrame a unção", "tem fogo no altar", etc., porém não posso me expressar a favor das verdades Bíblicas fundamentais, como a eleição, a graça irresistível, o cessacionismo, a segurança e a certeza da salvação, etc. Doutrinas estas tão renegadas em nossas igrejas nos dias de hoje, mas que foram defendidas e ensinadas consecutivamente por Jesus, pelos apóstolos, pelos pais da igreja e por homens como Spurgeon, Bunyan, Bagby, entre outros;

Sou obrigado a participar de um "culto" emocionalista, centrado no auditório e não mais no púlpito. Um "culto" egocêntrico, onde as pessoas vão para serem servidas e não para servirem; vão para receber e não para dar; vão para pedir - alguns até exigem - e não mais para agradecer; vão para se divertirem e não para chorarem por seus pecados e se regozijarem com a Graça e a Misericórdia de um DEUS SANTO. Porém eu não posso prestar um culto Cristocêntrico, conforme a liturgia batista.

Sou obrigado a assistir a um show de auditório - aquilo que chamam de grupo de louvor - que ao invés de adoradores, são verdadeiros animadores de festas, manipulando a platéia com frases do tipo "marche", "levante as suas mãos" ou "olhe para o seu irmão do lado e diga isso e aquilo", porém não posso adorar ao meu DEUS livremente, em espírito e em verdade, com ordem e decência, pois sou considerado uma cara frio, sisudo e nada espiritual;

Sou obrigado a escutar músicas pobres de melodia e poesia, repletas de erros de português, mas ricas em heresias. Músicas barulhentas e "compostas" por "compositores" tidos como "inspirados" e "proféticos" - todos pentecas -, que num grande esforço criativo (estou sendo irônico) conseguem escrever três linhas repetitivas - quase sempre em tom menor, e quem é músico sabe do que estou falando - e um refrão meloso que se repetem à exaustão, algo como um "mantra evangélico", uma verdadeira lavagem cerebral (no meu caso, estomacal) levando a platéia ao deliro psicótico - ou como preferem dizer - derramamento da unção ou do espírito (eu sei muito bem de qual espírito se trata). Porém eu não posso louvar ao meu DEUS quieto no meu canto, prestando a ELE um culto racional, em pleno controle das minhas emoções e faculdades mentais, sentindo a suavidade musical e refletindo com as belas poesias bíblicas do Cantor Cristão.

Sou obrigado a presenciar "danças proféticas", com as luzes do templo apagadas e os holofotes coloridos acesos, tal qual a um teatro, onde garotas com roupas estranhas dançam uma coreografia desconexa - sempre ao som de músicas pentecostais, com "línguas", "shofar" e outras esquisitices mais - que não acrescentam nada ao culto (espiritualmente falando, pois em questão de show só está faltando cobrar ingressos). Porém eu não posso me abster de bater palmas, em respeito a santidade de DEUS, pois sou considerado retrógrado e anti-social.

Eu gostaria de ser batista sem precisar ser diferente dos demais membros da igreja. Gostaria de poder ser apenas mais um batista, e não "o batista", dentro de uma igreja que se diz batista (pelo menos é o que afirma a placa na entrada).

Para finalizar este desabafo em forma de protesto, gostaria de citar o grande pastor batista e líder do movimento pelos direitos civis dos Estados Unidos, Martin Luther King: "O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons. O que me assusta não é a violência de poucos, mas a omissão de muitos". As heresias existem hoje por que o cristianismo não está sendo suficientemente cristão.

DAJ

 www.obereano.blogspot.com

Siga por Email

Assine O Bereano

Seguidores