sábado, 27 de dezembro de 2008

Aimee Semple McPherson

Aimee Semple McPherson foi a fundadora da igreja do evangelho quadrangular. Antes de fundar a ieq passou pelas igrejas, entre outras,  metodista episcopal e, por último, pela Assembléia de Deus de onde saiu para fundar a sua própria igreja. Ela foi influenciada por Pr. Durhram, o mesmo que havia influenciado Daniel Berg [que trouxe as assembléias de deus para o Brasil] e Louis Francescon [que fundou a congregação cristã no Brasil].

Segue abaixo algumas "curiosidades" sobre a fundadora da igreja quadrangular, Aimee Semple McPherson.

1. Ela se casou três vezes: um faleceu e os outros dois [maridos] pediram divórcio;

2. Após ser abandonada pelo segundo marido, se relacionou com o Sr. Kenneth Ormistron, que era um homem casado [isto não é pecado?];

3. Aos 40 anos de idade Aimee casou-se [seu terceiro casamento] com David Hutton, um cantor e ator, 10 anos mais jovem que ela. Isso causou grande controvérsia dentro da Igreja pois seu ex-marido, o Sr. Harold Mcpherson, ainda vivia (isso era contra a doutrina que ela mesmo havia estabelecido na Igreja);

4. Aimee Semple McPherson sofria de depressão e tomava anti-depressivos e tranqüilizantes para dormir [ela não era cheia do espírito e dos dons??!!];

5. Na noite do dia 26 de setembro de 1944, Aimee tomou vários comprimidos para dormir e deixou outros tantos em baixo do seu travesseiro. Foi encontrada morta no dia seguinte, em seu quarto. O laudo médico atestou "falha múltipla de rins e outros órgãos devido a uma overdose". As circunstâncias da morte de Aimee caracterizou um suicídio. [alguns adeptos de sua igreja alegaram "overdose acidental"?!?];

6. O "estranho desaparecimento" de Aimee: Em 18 de maio de 1926, Aimee e sua secretária, Emma Schaffer foram à praia. Aimee foi ao mar e não mais foi vista. Inicialmente, achou-se que tinha se afogado, e grande rebuliço aconteceu em todos EUA, especialmente em Los Angeles, centro de suas atividades evangelísticas. Equipes de busca foram organizadas, e incansavelmente buscaram o corpo da Sra. Aimee Semple Mcpherson. Uma jovem, devota de Aimee, mergulhou em sua busca e acabou morrendo afogada.

Todos lamentavam a sua morte quando em 19 de junho, 1 mês após o seu desaparecimento, sua mãe, Minnie, recebeu um bilhete exigindo $500 mil pelo resgate de sua filha, ou ela seria vendida como escrava. Minnie desconsiderou o bilhete por ter certeza de que Aimee esta morta. Dois dias depois, no dia 23, Aimee apareceu em Agua Pietra, no México, dizendo ter caminhado por horas no deserto após ter conseguido fugir do cativeiro em que era mantida após ter sido seqüestrada. Aimee foi recebida pelo povo como heroína.

O caso foi investigado, porém a polícia não encontrou indícios de seqüestro. O caso foi encerrado em 20 de julho, mas foi reaberto mais tarde com fortes acusações contra Aimee. A versão de Aimee foi a de que "um casal a procurou enquanto estava na praia para que fosse a sua casa orar por seu filho que estava muito doente. Ao entrar no carro do casal foi atacada, e desmaiada, foi levada ao cativeiro."

Após investigações, a versão policial: Aimee e o Sr. Kenneth Ormistron [o seu amante casado, citado no item 2] encontraram-se durante o mês do seu desaparecimento. Kenneth era engenheiro e trabalhava na rádio KSFG, do ministério de Aimee. Kenneth também desapareceu no mesmo mês do desaparecimento de Aimee. Pouco antes do episódio, a Sra. Ormistron havia se separado de Kenneth e ido para Austrália, sua terra natal, por ter provas de que seu marido estava se encontrando com uma outra mulher [neste caso, Aimee]. Os sapatos de Aimee, no dia que foi encontrada em Agua Pietra não demonstravam que ela tinha feito uma longa jornada pelo deserto. A partir de então, Aimee teve conflitos constantes dentro da sua própria família, o que era amplamente explorado pela mídia. Chegou ao ponto de se separarem e não mais se falarem. Em 10 de janeiro de 1927, o caso cessou;

7. O herético Benny Hinn costuma visitar o túmulo de Aimee, para receber a "unção" que flui de seus ossos [ela virou santa agora!!!???].

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Software para línguas estranhas

A semana retrasada quando saí da minha igreja e fui para a parada de ônibus, e o um grupo de crianças estava vindo do culto da assembléia de deus que não fica muito longe, e eles estavam treinando as "línguas estranhas" no meio da rua.

Até que uma das crianças disse para um maiorzinho que estava falando em "línguas": "Não, tá errado, não é sherebango, é sherebecantara o que o pastor disse".

Me lembrei então, de algo verdadeiro e que acontecia - quando eu ia nas igrejas pentecostais, muitas pessoas me disseram que falavam em "línguas estranhas" em casa, elas "treinavam" para fazer bonito na igreja. Segundo muitos, o "dom deveria ser treinado, para não desaprender".

Baseado nisso, estou pesquisando e já consegui funcionalmente criar um algoritmo que imita perfeitamente as línguas pentecostais.

Basta 5 sílabas diferentes para a "introdução da frase", 5 para o "desenvolvimento da frase" e outras 5 para o "fechamento da frase", mais umas 3 "frases de dissimulação" que os pentecostais usam para enganar os ouvintes e dizer que se trata de manifestação divina.

Depois, é só utilizar algumas pequenas variações como sílabas semelhantes.

Então, com um campo específico de poucas sílabas, através de uma variável conectada a um gerador randômico, e então voilá!!! O primeiro software gerador de "línguas estranhas"!

Para demonstração, uma pequena amostra - 999.999 linhas de "línguas estranhas" geradas em 50 segundos. http://acfsottja.googlepages.com/LinguasEstranhas.rar

Viu pentecostais, que invenção incrível?

Agora você não precisa mais assistir aos cultos do R[omildo]R[ibeiro]Soares, Marco Feliciano, e todos aqueles outros pastores estéricos da TV, e ir aos cultos e vigílias intermináveis. É só exercitar suas "línguas estranhas".

Agora você pode fazer tudo isso na comodidade do seu lar, com um programa que gera rapidamente centenas ou mesmo milhares de megabites de texto de "línguas estranhas" ininteligíveis, para você falar trilhões de horas ininterruptas, e exercitar todo o seu poder, e dar um show quando for na igreja.

Não é maravilhoso?

1Co 14:19 Todavia eu antes quero falar na igreja cinco palavras na minha própria inteligência, para que possa também instruir os outros, do que dez mil palavras em língua desconhecida.

Marcelo Gross - SS-TT

www.obereano.blogspot

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Mudou o significado da adoração?

Curiosamente, o substantivo "adoração" não aparece na Bíblia. E o substantivo "adorador" aparece apenas uma vez, em João 4:23. Todas as vezes que a Palavra de Deus toca no assunto usa o verbo "adorar", como nessa própria passagem de João, em que ele é pronunciado nove vezes.

No Velho Testamento, na esmagadora maioria das vezes, trata-se da tradução do verbo hebraico "sahah". No Novo Testamento é a tradução do verbo grego "proskyneo". Em ambos, o sentido é de prostrar-se, encurvar-se, inclinar-se, e sempre com o rosto em terra. Trata-se de um ato devido somente a Yahweh ou Jesus. Por essa razão é que Mardoqueu nunca se inclinava e se prostrava perante Hamã (o verbo é o mesmo), o que provocou a ira deste último (Ester 3:1-6).

Adoração é o ato de adorar. É a palavra correta para significar o ato de culto que se presta ao Senhor. É importante frisar que tal culto de adoração pode ser coletivo, familiar ou individual. Nos últimos tempos, porém, tem havido muita confusão sobre o que é, de fato, adoração. Nos Estados Unidos surgiu até uma classe clerical para cuidar do assunto: são os chamados "worship leaders" (líderes de adoração) cujos correspondentes no Brasil vêm a ser os "ministros de louvor" (sic), os quais invariavelmente são músicos, ou pretendem ser. Tal classe é um sub-produto das mega-igrejas e da indústria de entretenimento "gospel" americanas, coisa que, infelizmente, se reproduz no Brasil.

E aí está o primeiro problema: adoração tornou-se uma especialidade, uma parte do culto, que pode não acontecer se não houver um líder de adoração com seus respectivos colaboradores, também músicos. Portanto, adoração deixou de ser o culto propriamente dito, para ser uma parte dele. Para muitos irmãozinhos hoje em dia, se em determinado culto não houve um grupo à frente da igreja liderando uma grande quantidade de cânticos - mesmo que se tenha cantado ao Senhor, que se tenha orado e que a Palavra tenha sido lida e proclamada - não aconteceu a adoração. Ora, toda pessoa que lidera um ato de culto é um líder de adoração, seja pastor ou leigo, seja tal ato realizado num templo ou em outro lugar, simplesmente porque todo culto, em sua totalidade, é um ato de adoração.

E em relação a essa questão temos outro problema: tais líderes de adoração, ou seus equivalentes, passaram a assumir cada vez mais papeis que não lhes cabem nos cultos. Músicos são músicos, estão ali para executar e liderar a música, e não para fazer longas orações e longos discursos, quase sempre iguais e cansativos. Ou, pior ainda, para à moda de comunicadores de TV em seus programas mundanos, bradar palavras de ordem para o povo fazer isso ou aquilo. Recentemente um pastor da minha região contou-me que a pessoa que liderava os cânticos na sua igreja costumava estender-se largamente nessa prática, e depois desculpava-se dizendo para ele o seguinte: "Mas, também, depois disso o senhor nem precisa pregar!". Para a "infelicidade" do pastor e da igreja, tal irmão teve que ser excluído por problemas morais.

E aqui temos um outro problema sério. Antigamente, pastores e igrejas só permitiam que liderassem os cultos pessoas reconhecidamente consagradas, de bom testemunho da igreja e dos de fora, dedicadas em todo o trabalho, desde a EBD até os cultos de oração e de evangelização nos lares. Com o surgimento das equipes e dos "ministérios" (sic) de louvor, passamos a ter, em muitas igrejas, uma verdadeira aberração: pessoas sem nenhum compromisso com a igreja, sem vida cristã, passaram a liderar uma parte do culto. Muitos deles só chegam à igreja na hora de fazer a sua parte e nem participam dos demais atos do culto. Trata-se de uma verdadeira ofensa aos bons crentes que estão assentados nos bancos servindo como massa de manobra dessa gente. E mais, esses "adoradores" de domingo (na segunda-feira são outra coisa) prestam um péssimo serviço à causa de Cristo, com seu testemunho negativo. Por que as igrejas permitem isso?

Outra coisa que me incomoda e que tem a ver com o significado de adorar, é que o termo passou a incluir coisas estranhas ao culto, como dançar, pular, etc. Já viram alguém dançar ou pular inclinado com o rosto em terra? Impossível, não? Pois é, ainda que alguém, ironicamente, possa alegar que não tem visto ninguém em nossas igrejas adorando com o rosto em terra, quero responder que devemos, sim, preservar o simbolismo da figura e ter mais respeito pelo ato de culto, que é adoração a um Deus santo e puro, uma adoração em espírito, isto é, que se processa no nível espiritual, e não corporal. Um ato de profunda humilhação perante aquele que é Dono das nossas vidas. Aliás, contrariamente ao sentido do termo, nenhum líder de adoração costuma pedir que o povo se ajoelhe e se humilhe diante de Deus; pelo contrário, a primeira coisa que pede é que o povo fique de pé e faça gestos que não têm nada a ver com sentido bíblico da adoração.

Sei que alguns vão torcer o nariz para o que está dito aqui, talvez nem terminarão a leitura, mas o propósito deste meu humilde escrito é despertar os irmãos para buscarem na Bíblia o verdadeiro significado da adoração e praticá-lo. Pois muitos de nós estamos caindo no mesmo pecado do povo de Israel, que "inventou" uma adoração que Deus repudiou: "Esse povo ora a mim com a boca e me louva com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. A religião que eles praticam não passa de doutrinas e ensinamentos humanos, que eles só sabem repetir de cor. Por isso, mais uma vez vou deixar este povo espantado com as coisas estranhas e terríveis que farei no meio dele." (Isaías 29:13,14 - NTLH).

Pr. Silvio Macri

www.obereano.blogspot.com

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Ceia do Senhor e heresias

No mesmo capitulo 11 de I Corintios, onde Paulo procura doutrinar como se deve celebrar a Ceia do Senhor, diz: "Importa que haja entre vós heresias, para que os que são sinceros se manifestem".

Assim que mudamos para Cafelândia, sentimos a falta da Escola Bíblica Dominical, pela manhã, pois, a igreja local realiza a escola à noite. Não querendo passar o dia todo sem estar na igreja, passamos a visitar varias igrejas chamadas evangélicas. E a primeira que visitamos, estava celebrando a Ceia do Senhor, sem ter lido o texto alusivo ao assunto, o ministrante distribuiu o pão e o cálice, sem nenhuma explicação disse: "Comamos a carne do Senhor, e bebamos o seu sangue". Não sei de onde tiraram esta idéia: da Bíblia que não foi, uma vez que ela ensina que é um ato memorial. No domingo seguinte, visitamos uma outra igreja, e ouvimos as mesmas heresias; e imaginamos: "Meu Deus! Este povo não estuda a Bíblia; e esta é mais uma das razões porque surgem tantas heresias; e isto no meio do povo chamado evangélico".

Há poucos dias, estando com o televisor ligado a um programa também chamado evangélico, de grande audiência, ouvimos do seu dirigente o seguinte: "Na próxima semana, iremos celebrar a santa ceia, ocasião em que iremos comer a carne de Jesus e beber o sangue Dele". Ficamos lamentando a perda de oportunidade para celebrando a ceia, relembrar a morte do Senhor Jesus. Que bela oportunidade seria narrar o sofrimento e a morte do Senhor! Para nós, particularmente, este é um dos mais importantes assuntos do Novo Testamento, de proclamar o Evangelho; é o momento mais sublime, pois estamos anunciando a conquista de nossa salvação através do sofrimento e morte do Senhor. Visitando uma outra igreja, em uma outra cidade, verificamos que também era a hora da celebração da Ceia do Senhor. O seu ministro também não leu nenhum texto bíblico; e pediu a um dos membros que orasse; o qual disse: "Senhor, quando este pão cair em nosso estomago, produza saúde para todos nós em nome de Jesus amém".

Não se espantem distintos leitores, este outro caso que vamos-lhes contar, se deu numa igreja Batista, e que aconteceu, quase identicamente: também não houve explicação nem leitura bíblica! Será que no seminário não foi estudado a eclesiologia? Que fazem os mestres nos seminários, que não esclarecem os seus alunos, futuros pastores? Ou será que certos pastores não dão muito importância à Celebração da Ceia do Senhor? Paulo diz que: "Os que são sinceros se manifestem". E que "Se alguém come indignamente o pão, e bebe indignamente o cálice do Senhor, também será culpado do Seu corpo e do Seu sangue (da morte do Senhor)". É preciso praticar este mandamento com o sentimento e reviver àquela hora pela qual passou o Senhor.

Perguntamos: por que toda essa frieza e indiferença? Até parece que consideram a morte expiatória de Jesus, um assunto de pouca importância, ou de nenhum significado. Um outro assunto, em uma outra denominação, foi ministrado o batismo infantil, pelo seu dirigente, sem o fundamentar na Bíblia, e sem dar explicação do seu sentido. Diante destes fatos ficamos estarrecidos. Será que essa gente não lê a Bíblia? Ou por ventura faremos uma campanha para comprar Bíblias e dar-lhes de presente? Que Deus tenha misericórdia e nos dê consciência clara de que somos especialistas em Bíblia; e que é o livro que deve ser lido, conhecido e, ensinado ao povo de Deus.

Pr. Timofei Diacov

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Antes do pentecostalismo...

O que me espanta é constatar que antes de surgir o pentecostalismo, quase não se ouvia falar em pessoas endemoninhadas, a não ser os infelizes que pertenciam ao Espiritismo (kardecista, umbandista, candomblecista, etc.). Os cristãos eram sérios, iam à igreja, viviam uma vida honesta e davam maravilhoso testemunho aos incrédulos. Muitos crentes eram até mesmo apedrejados por amor do Evangelho. A maioria das pessoas se convertia diante de uma pregação séria da Palavra de Deus, lendo a Bíblia, nascendo de novo e vivendo uma vida reta e santa, de excelente testemunho diante de Deus e dos homens.

Foi então que surgiu o pentecostalismo, com os seus sinais e maravilhas, curas milagrosas, exorcismos, glossolalia, gente andando de quatro e coisas assim. Como "um abismo chama outro abismo", esse movimento foi se desdobrando numa série de movimentos espúrios, tipo "Teologia da Fé", "Teologia da Prosperidade", Teologia do "Fale e Exija", Movimento G-12, Vineyard, Promise Keepers, Oração Contemplativa, todos estes a caminho da Nova Era...

O evangelho foi caindo rapidamente de nível e os crentes já não conseguiam (nem conseguem mais) dar um bom testemunho de vida... Antigamente, quando um crente entrava numa loja para comprar a prestação, o seu crédito era logo aprovado, pois, ser evangélico era dar uma garantia de honestidade. Hoje em dia, quando se entra numa loja e diz que é evangélico, o crédito demora muito mais a ser aprovado, pois isto se tornou uma vergonha. Também, já não se pode pregar para um católico porque ele sempre ri da nossa cara, afirmando que ser evangélico é o mesmo que ser um palhaço religioso. Eu não consigo mais me apresentar como evangélica. Fico caladinha e, quando muito, digo que sou uma "pesquisadora da Bíblia", tentando merecer algum respeito, o contrário do que acontecia antigamente, quando ser evangélico equivalia quase a ser um santo!

Os pentecas são tão fracos no Livro de Gálatas? Talvez por isso é que têm uma lamentável tendência ao judaísmo, com medo de sonegar o dízimo; buscando ansiosamente os sinais e as maravilhas que são a marca registrada de sua denominação; submetendo-se como ovelhas tolas aos seus guias pentecas, quando Paulo diz em Gálatas 5:1: "ESTAI, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão". E quando o mesmo apóstolo aos gentios diz, em Gálatas 5:14: "Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo".

Os pentecas entregam o dízimo com medo de ser amaldiçoados, pois isso é constantemente pregado pelos seus pastores malaquianos. No entanto, o "dízimo" é lei do Velho Testamento, não do Novo, e Paulo diz em Gálatas 3:10 "Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las". Se vocês, pentecas, dão o dízimo e seguem alguns outros mandamentos mosaicos, então precisam também guardar o sábado, deixar de comer carne de porco, enfim precisam guardar os 613 mandamentos da Lei de Moisés, a fim de não serem amaldiçoados!

Não se preocupe, dizendo que estou mexendo com o mundo espiritual. Vocês, pentecas, é que são especialistas neste assunto! De minha salvação cuidou o Senhor na cruz e dando-me a chance de obter um bom conhecimento bíblico não embasado no judaísmo, nem em denominação alguma, porém exclusivamente na Palavra da Verdade.

Mary Schultz

sábado, 15 de novembro de 2008

A Cruz e o Pináculo

Conhecia Helmut Thielicke do livro Mosaico de Deus. Comprei e comecei a ler As tentações de Jesus, também dele. O livro é bom: foram três edições em alemão.

Uma expressão sua me encantou (ouvindo-a, Meacir concordou: "Puxa, que lindo!"): "Deus aproxima-se silenciosamente, sem ser notado por ninguém, entra pela porta dos fundos do mundo, e repousa no estábulo de Belém". O Deus silencioso! O mesmo Deus que respondeu a Elias contrariando a sua expectativa. Não veio como terremoto, vento despedaçador ou fogo, mas como brisa mansa e suave.

Satanás oferece o pináculo do templo: "Lança-te daqui abaixo". Que conselho! Na hora do culto, a multidão indo ao templo, Jesus pula e quando vai se esborrachar, anjos surgem e o depositam suavemente no chão. Fantástico! Por que a cruz? Por que o sofrimento? Há meio mais fácil! Se a questão fosse como hoje, atrair gente, o conselho de Satanás seria o melhor. Mas Deus tem seus planos. Ele age de maneira diferente da que pensamos (como com Elias) e muitas vezes no silêncio, como na encarnação.

Por que esperar raios, trovões e fumaças e não ver a mão de Deus no amigo que, sem saber de nossa dor, foi tocado por Deus para orar por nós? Por que não ver a mão de Deus na palavra de um irmão ou do professor da EBD, ou do pastor, que vem ao nosso encontro, nos conforta, lança luz e dirime questões?

Em Jesus, Deus entrou pela porta dos fundos do mundo, à noite, e foi dormir num estábulo. Este é o maior de todos os milagres, a encarnação. O Eterno entrou no tempo, o Infinito entrou no espaço, o Santo veio aos pecadores. Deus é desconcertante! Faz o que quer, quando quer, sem dar satisfações, e não precisa que tomemos atitudes pouco sábias e, algumas vezes, ímpias. Como Pedro, quase matando Malco, à espada. Se Jesus quisesse, o Pai o livraria.

Duas questões são fundamentais. A primeira é quem Deus é. Ele é grande e é poderoso. Pode nos usar, pode se servir de nós, mas não precisa de nós. Saía-se bem antes de nós e quando nos formos, irá bem. Cuidado com cultos e pregações tipo pináculo do templo para promover seu reino. Ele não precisa de estardalhaço (e isto serve para a barulhada terrível de boa parte da liturgia de muitas igrejas hoje!) nem de sensacionalismo. A divulgação do seu evangelho, de seus atos e feitos, vem pelo testemunho, pela vida, pelo caráter e pela proclamação com a vida. Deus sabe "se virar". Não precisamos "forçar a barra". Ele não é incompetente nem o evangelho é uma tranqueira que precisa de artifícios desonestos. Ele precisa de quem viva sua palavra e não de quem a infle artificialmente.

A segunda questão é o que o evangelho é. Conteúdo e não rótulo. Miolo, não casca. E se impõe pelo que é, pelo que diz, pelo que mostra, e não pelo adorno e enfeite que lhe damos. A igreja tem tornado o evangelho palatável aos homens, e muitas vezes lhe tira o conteúdo para vender um produto agradável. É a graça barata, a liturgia barata (e pobre, porque a liturgia atual é barulho e sacolejo com conteúdo paupérrimo), o testemunho barato, a vida fácil. Jesus não fez concessões. O evangelho não seria divulgado pelo pináculo, mas pela cruz.

O evangelho é cruz e não pináculo. Não a substitua por ele. Nem a leve para lá. Assuma-a. Proclame-a. Cruz, e não pináculo.

Isaltino Gomes Coelho Filho

www.pilb.blogspot.com

sábado, 8 de novembro de 2008

Retété de jeová e os bereanos

Cada vez mais tenho percebido que parte dos evangélicos estão vivendo um estranho tipo de evangelho. O sensacionalismo bem como o emocionalismo catársico, fruto do chamado retété de Jeová tem ditado em nome do Espírito Santo comportamentos absolutamente contrários aos ensinos bíblicos.

Em nome da experiência, doutrinas e práticas litúrgicas das mais estapafúrdias tem se multiplicado em nossos arraiais. "Sapatinho de fogo, unção do cajado, do riso, do leão, da urina, galo que profetiza", entre tantas outras mais fazem com ruborizemos diante de tanta sandice.

Talvez ao ler este texto você esteja dizendo com seus botões: quem somos nós para julgar alguém? A Bíblia nos ensina que não podemos julgar ninguém. Ora, quando o Senhor Jesus advertiu contra o juízo temerário (Mt 7:1-6), Ele não estava declarando pecaminoso e proibido toda e qualquer forma de juízo. Dentro do contexto de Mateus nosso Senhor nos induz a discernir quem é cão e porco para que não se desperdice a graça de Deus. Julgar não é pecado! Afinal o próprio Deus exerce juízo. Ele mesmo nos ordena exercer o discernimento, que diga-se de passagem é o dom mais ignorado, e talvez o mais odiado hoje em dia.

Cristo julgou os escribas e fariseus pelo seu comportamento hipócrita e doutrinariamente distorcido (Mt 23:1-36). Se o julgar não é o papel de um homem de Deus, então creio que tanto os profetas do Antigo Testamento como os apóstolos devem ser despidos deste título! O que falar então dos crentes de Béreia? Ora, diz a Bíblia que ele não engoliam qualquer ensinamento, antes pelo contrário, verificavam se o ensino estava de acordo com a sã doutrina.

Como já escrevi inúmeras vezes, creio veementemente que boa parte dos nossos problemas eclesiásticos se deve ao fato de termos abandonadoas Escrituras. Não tenho a menor dúvida de que somente a Bíblia Sagrada é a suprema autoridade em matéria de vida e doutrina; só ela é o árbitro de todas as controvérsias, como também a norma para todas as decisões de fé e vida. É indispensável que entendamos que a autoridade da Escritura é superior à da Igreja, da tradição, bem como das experiências místicas adquiridas pelos crentes. Como discípulos de Jesus não nos é possível relativizarmos a Palavra Escrita de Deus, ela é lâmpada para os nossos pés e luz para os nossos caminhos.

O reformador João Calvino costumava dizer que o verdadeiro conhecimento de Deus está na Bíblia, e de que ela é o escudo que nos protege do erro.

Em tempos difíceis como o nosso, precisamos regressar à Palavra de Deus, fazendo dela nossa única regra de fé, prática e comportamento.

Soli deo Gloria.

Renato Vargens
www.renatovargens.com.br

O dom de línguas

Ficar a balbuciar palavras ininteligíveis virou moda nas igrejas chamadas evangélicas e, de acordo com os criadores do costume e de seus adeptos, seria sinal de recebimento do Espírito Santo e de poder espiritual dos que se dedicam à prática.

Um costume que começou nos EUA, no início do século XX, se espalhou pelo mundo alcançando até mesmo seguimentos da Igreja Católica e hoje, quem não se entrega à prática é olhado como uma pessoa estranha, como um crente enfraquecido na fé, como alguém que não tem nenhum poder espiritual.

Acontece que esse costume não tem qualquer base bíblica e não manifesta, de forma alguma, algum tipo de comportamento cristão.

Como o cristianismo tem (ou pelo menos deveria ter) base neo-testamentária, busca-se em suas páginas algum texto que possa referendar o que surgiu em mentes embotadas pelo paganismo e pelo desejo de ëxercício de poder religioso sobre outras pessoas.

Os textos preferidos, isolados, são Atos 2:4 e 1 Coríntios 12.10, 28, que parecem fornecer base inquestionável para o comportamento pseudo-cristão.

Acontece que os textos, à luz dos seus contextos e analisados na língua original em que foram escritos, não dão base alguma para tais doutrinas e comportamentos dentro do cristianismo.

Se não, vejamos:

Em Atos 2:4 e 2:11 Lucas utilizou a expressão glossa no sentido de línguas de outras nações e não no sentido de línguas estranhas. O contexto mostra que houve um fenômeno de tradução, ou de proclamação, em línguas de outras nações, que judeus que eram de outras partes do mundo e que estavam em Jerusalém, estavam ouvindo a pregação dos apóstolos em línguas dos seus lugares de origem.

Em 1 Cor. 12:10,28 o apóstolo Paulo utilizou a expressão glossa se referindo a um dom do Espírito Santo que capacita a falar línguas de outras raças ou nações. A palavra que está traduzida por variedade está mal traduzida pois é genos que significa raças, tribos, nações, famílias. A tradução correta seria "a outros, línguas de outras nações...". Isto significa que não há Bíblia a referência a um dom do Espírito Santo concedendo a fala de línguas estranhas aos homens, mas o dom de falar em línguas de outras nações.

O que fazer diante da realidade de que a prática de balbuciar palavras ininteligíveis não faz parte da vida com Cristo? São várias as posições que precisam ser assumidas:

1. Os crentes em Cristo que nunca falaram línguas estranhas não se deixem influenciar nem pressionar de forma alguma pelos que adotaram o comportamento;

2. Os que depositam a sua fé na prática da glossolalia devem reexaminar a sua conversão e devem, sendo sinceros com Cristo, depositar realmente a fé somente na sua graça, no seu sacrifício, nas suas promessas de fortalecimento através do Espírito Santo que já está presente em todos quantos creem nele como Salvador e Senhor.

3. Devemos buscar com ardor oportunidades de pregar o evanglho de Jesus Cristo de maneira clara, bíblica, inteligível e, portanto, eficiente para a salvação de todo aquele que crer em Jesus Cristo.

Pr.Dinelcir de Souza Lima
IB Memorial de Bangu, Rio de Janeiro - RJ

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Manual de instrução para ludibriar o rebanho com entretenimento e prosperidade.

Eis aqui um artigo ironicamente preparado para demonstrar as mutretagens dos populares ministros da fé e da prosperidade, os quais dominam o cenário eclesiástico nas três Américas, por causa da incompetência bíblica de 99% dos crentes.

Regra Número 1

a) - Aprenda a falar as palavras capciosas dos cristãos "ungidos". Você pode começar repetindo a palavra "ungido" em sua conversa, fazendo com que as pessoas de fato acreditem que você possui essa unção especial. (Veja a regra 3, para ter uma completa lista dessas palavras capciosas). Congregar pessoas na audiência para serem "curadas" é uma boa maneira de captar a confiança do rebanho. Contudo, tenha a certeza de que o incômodo do qual elas desejam ser curadas é invisível, não podendo ser constatado pela Medicina. Enxaquecas e outras dores e incômodos são excelentes motivos para uma boa capitalização. Esteja certo de escolher de antemão as pessoas, de modo que elas não publiquem o que está acontecendo. Persuadir as pessoas de que você vai lhes dar um conhecimento secreto, o qual outras pessoas não conhecem, pode atraí-las como moscas para o mel. Isso vai encorajá-las a ficar maravilhadas diante do seu conhecimento. Quando as pessoas reconhecerem que você possui essa "unção", você logo poderá afirmar o seu apostolado ou se estabelecer como um "profeta de Deus".  Isso funciona muito bem porque as pessoas preferem ouvir um "profeta" que escutar a voz de Deus através do estudo de Sua Palavra. Lembre-se de evitar que elas descubram que você se "ungiu" a si mesmo. Isso é vital. Se elas virem que você é o único a afirmar que foi "ungido", você jamais conseguirá a afluência do rebanho, e não vai conseguir o entretenimento e o lucro que vão chegar, quando você conseguir ludibriar as ovelhas.

b) - Estabeleça-se como um profeta de Deus, fazendo algumas predições. Não importa se estas não se cumprirem, pois você sempre vai poder afirmar a falta de fé como a razão para que estas não tenham se cumprido. O segredo do sucesso é jogar a culpa sobre os outros, quando estiver num local apropriado. O que quer que aconteça, jamais assuma a responsabilidade pelo fracasso da profecia, pois isso poderá manchar a sua imagem e atrapalhar a tosquia do rebanho para o entretenimento e a prosperidade. Você também deve evitar que o rebanho chegue perto de passagens da Bíblia, as quais dizem que um profeta deve ter 100% de acerto, conforme Deuteronômio 18. É necessário conservá-lo longe dessas passagens, lembrando-o de que todo mundo pode falhar. Se você mantiver o foco sobre as pessoas falíveis, seu rebanho não vai saber que as profecias supostamente vindas de Deus são infalíveis.

c) - Se alguém o desafiar como um profeta de Deus, faça com que ele se lembre do verso "Não toqueis nos meus ungidos" e as conseqüências sobre quem "blasfema contra o Espírito Santo". Nunca os deixe perceber que essas passagens nada têm a ver com você ou com a situação em pauta. Vai soar muito espiritual se você lhes falar essas passagens em voz alta, olhando-os severamente nos olhos... É essencial que você sempre amedronte o rebanho, o máximo possível, para ter a certeza de que as ovelhas têm medo de você. O medo é uma grande ferramenta a ser usada, a fim de garantir a tosquia do rebanho.

d) - Desencoraje o rebanho de ler a Bíblia sozinho. Relembre-o sempre de como o Espírito Santo tem falado com você, o que reduz a necessidade de suas ovelhas estudarem a Bíblia, visto como os seus conhecimentos são até superiores aos da Bíblia. Não esqueça de injetar um verso, aqui e ali, de modo que elas pensem que isso é de Deus. Procure versos obscuros, de modo que o rebanho não descubra que eles nada têm a ver com o que você tem ensinado. É aconselhável usar uma versão bíblica mais antiga, pois a maioria das pessoas hoje em dia não entende o português clássico e você pode fazer com que elas entendam os versos exatamente como você deseja. Se alguém o desafiar, invoque o seu "divino conhecimento da revelação" e repita as clássicas frases do item "c". Se alguém no rebanho tentar ler a Bíblia por conta própria, tenha a certeza de interpretar as Escrituras para ele, dizendo o que elas "realmente" significam. Será proveitoso que você escreva o seu próprio estudo bíblico, com as suas próprias anotações nas margens. As versões em couro podem ser vendidas por mais de R$ 200 cada uma e podem oferecer uma fonte de lucro por muitos anos.

e) - As pessoas mais chatas são aquelas que ficam insistindo na sã doutrina e é preciso ficar alerta quanto a esse tipo de gente, a qualquer custo. Seu lucro e reputação estão em jogo neste ponto. Contudo, isso pode ser facilmente superado com a frase capciosa: "Será que podemos continuar? Todos nós amamos Jesus". Convença o rebanho de que a doutrina é divisora e o que importa é amar o Senhor. Isso funciona bem, pois os que  insistem no assunto são rotulados como divisores e isso questiona a sua espiritualidade. Quando se chega a esse ponto, fica fácil deixar de lado o que eles estavam falando.

f) - O emocionalismo é essencial para o ministério de engodar o rebanho. Imite os mais bem sucedidos enganadores e pratique isso, até que se torne um hábito. Ande agressivamente para a frente e para trás, no palco, acenando amplamente com os braços, com a certeza de estar falando rápido e em voz alta. Para dar mais ênfase,  sussurre  algumas vezes para que todos se esforcem para escutar você e em seguida dê um forte gemido, para que eles pulem de suas cadeiras. Verter lágrimas e ficar ensopado de suor na fronte e no queixo, enquanto está pregando, ajuda bastante a demonstrar "unção", garantindo que o rebanho está recebendo uma mensagem "ungida". Dance bastante e fale "Uuuuh! Sinto a unção chegando sobre mim... Ó glória!"  Esteja certo de fazer barulhos estranhos, às vezes, e diga que está falando nas línguas do Espírito. Isso impressiona demais e assegura a admiração do rebanho sobre você.

Regra Número 2

Para um ministério prosperar, o dinheiro deve ser regularmente extorquido do rebanho.  Não tome todo o dinheiro dele, de uma vez, porque isso poderia fazer a fonte secar e você deve ter a certeza de receber ofertas durante muito tempo, a fim de aumentar o seu lucro. Continue fazendo com que os seus seguidores tenham esperança de que os ensinos recebidos funcionam de fato. Isso pode ser conseguido, mostrando como o Senhor o tem abençoado, quando você dirige a sua limusine. Assegure-os de que eles também podem tornar-se servos ungidos de Deus, recebendo as mesmas bênçãos. Alguns dos truques seguintes podem funcionar muito bem; eles têm sido tentados e testados. Contudo, quando esses truques começarem a falhar, use um pouco de imaginação para conservá-los atuais e excitantes.

a) - Oração ungida sobre roupas e acessórios. Isso tem sido uma boa novidade e com muito sucesso. Esse truque não funciona bem com as ovelhas mais idosas, mas existem muitas ovelhas novas que ainda acham isso excitante. Você pode ter uma variedade de roupas e adereços ungidos que as conservará freqüentando, por enquanto. Roupas e acessórios podem servir para unção, riqueza e poder. As possibilidades são quase ilimitadas com uma imaginação fértil. A margem de lucro pode ser muito grande porque as roupas e acessórios são baratos na compra e podem dar um bom lucro, quando vendidos por preços mais altos do que valem, por causa da "unção" [hoje está na modas as toalhias com o seu suor].

b) - Orar sobre cartas. Esta é outra maneira de atrair lucro. Uma vez que o seu investimento financeiro é quase nulo. Faça com que os membros enviem cartas com pedidos de oração e você pode estabelecer o preço para orar sobre as mesmas. Quanto você cobra depende do quanto você deve ter convencido as ovelhas de sua unção. Um bom profeta ungido pode receber 20 pratas ou mais por oração, se esta for manejada corretamente. Tenha a certeza de que tem uma maneira de se livrar das cartas, a fim de que estas não entulhem o seu espaço particular no escritório.

c) - Se alguém optar pelo ministério de libertação como um meio de lucro e gratidão, você pode oferecer acessórias ungidos para afugentar os espíritos, fixando o preço conforme a severidade do demônio. Eu não recomendaria o uso do termo "dólares contra os demônios", porque isso poderia não soar muito espiritual. Contudo, esse ministério garante lucro e reconhecimento, porque os demônios não ficam presos por muito tempo e logo voltam. Então, você será chamado sempre e sempre para exorcizar os mesmos demônios das mesmas pessoas. Evite muito trabalho nessa área, porque as pessoas depressa ficarão dependentes de você para conservar os demônios longe. Se elas se tornarem insatisfeitas e o questionarem, chegou o tempo de você as despachar como cães que continuam voltando ao seu próprio vômito. Lembre-se que sua imagem precisa ser protegida e jamais aceite perguntas tolas, como: "Por que não funciona?" A chave para um ministério bem sucedido é jogar a culpa sobre a ovelha. A arrogância será sua melhor aliada para o manter a salvo do rebanho.

d) - A era eletrônica é maravilhosa e não se pode negligenciar este meio de lucro e gratidão. Você pode convencer o rebanho de que Deus está sempre presente em toda parte, inclusive na Internet. Faça com que os possessos dos demônios ou enfermos coloquem as mãos e a testa diante da tela, convencendo-os de que Deus está tocando-os através de você, pelo monitor. Coloque em seu website um desenho em que você apareça com a mão estendida para eles. Isso os convencerá de que você realmente está orando em seu favor. Declare que as orações só irão funcionar se eles tiverem remetido dinheiro. Sua reputação é que vai determinar o preço a ser fixado por essas orações. O poder de sugestão funciona bem; os hipnotizadores têm usado esse princípio por muitos anos. O importante é que o cliente esteja mentalmente convencido de que a "unção" está fluindo para ele através da tela do monitor. Então, você pode pedir mais ofertas para futuros toques ungidos.

Regra Número 3

Fique papagueando o jargão que somente os ungidos costumam usar: "Clame pelo sangue de Jesus".

a) Não importa o fato de que não haja qualquer precedente na Bíblia para a frase acima. Como a mesma soa espiritual, então que seja usada constantemente. Repetida sempre e sempre ela pode dar a impressão de algum ingrediente mágico no sangue de Jesus, ficando no mesmo nível da água benta, do incenso, das velas acesas e do uso do crucifixo [NT: Hábitos muito comuns aos católicos], como proteção para o rebanho. (Esses itens supracitados poderão ser vendidos com um bom lucro, se forem "ungidos"). Conhecer o linguajar dos "ungidos" poderá elevar você ao reconhecimento e colocá-lo na posição de ludibriar o rebanho pelo entretenimento e pela profecia, de maneira mais rápida. Falar diretamente com Satanás é muito impressionante, mas você deve evitar que eles vejam que isso não é bíblico. Juntar palavras e frases capciosas à mímica deve ser feito conforme abaixo e JAMAIS esqueça de "invocar o nome de Jesus" (Tente falar  "Jesus" o mais longo possível: Jeeeeeeesuuuuusssss. Quanto mais longo, melhor). "Satanás, estou aqui em nome de Jesus". "Satanás, você está amarrado em nome de Jesus". "Satanás, eu ordeno que você volte para o inferno, em nome de Jesus". "Satanás, eu repreendo você em nome de Jesus". (Não esqueça de enfatizar o pronome EU. Isso vai colocar você em foco como alguém com poder para fazer essas coisas. Isso também coloca o foco em Satanás e não esqueça de invocar o nome de Jesus para um toque de religiosidade, que vai dar a impressão de poder. Se você conseguir desviar o foco de Jesus, então isso vai convencer o rebanho de como ele precisa dos que ocupam a posição de "ungidos". Apontar para Jesus vai atrapalhar a posição de ungido e de continuar com o engodo; portanto, todo cuidado nessa área é pouco!)

b) Mais algumas palavras e frases capciosas:

* Afirmar, confessar e exigir a cura em nome de Jesus é bom, mas retira a atenção de sua unção. Mais uma vez, quanto mais arrogante você for, mais chamará a atenção das ovelhas sobre a sua "unção".

* Aleluia, Louvai ao Senhor, glória e amém. (repita sempre e sempre, e para mais ênfase, um assobio às vezes é bom. Quanto mais alto melhor, para que escutem a sua unção).

* Gritos de glória e "vivas ao Espírito Santo, devem ser atirados às vezes. Se você for vencido pelo riso, será fácil engodar o rebanho, afirmando que se trata do "riso santo" e todos irão a você (o que vai levá-lo a rir mais fortemente; mas não se preocupe, pois eles vão rir muito, o tempo todo).

* Cantar, dançar, falar e andar no Espírito são certamente fogo nas palavras  "ungidas", as quais serão notadas!

c) - Semente de fé. Este termo indica que os crentes estão plantando uma semente de fé e vão conseguir uma colheita em dinheiro por causa dela.  Usando essa idéia, você pode conseguir que as pessoas lhe enviem grandes somas de dinheiro sob a promessa que receberão de volta o valor centuplicado. As pessoas são ambiciosas por natureza e a ilusão da promessa de receber milhares de dólares de volta é uma poderosa indução. (Mas tenha a certeza de que elas ficarão longe da leitura de Marcos 10:29-30, porque você não vai querer dar a elas um lampejo sequer de que as perseguições também poderão acontecer em suas vidas. Livre-as de qualquer idéia de que o estilo de vida que você está promovendo poderia algum dia causar-lhes problemas). Isso também vai dar-lhe uma excelente oportunidade de usar a culpa e a intimidação para coagir as pessoas a lhe mandarem grandes somas como "ofertas de amor". Obviamente, se elas não quiserem lhe enviar esse tipo de "oferta de amor", então é porque não têm bastante fé para plantar. Termos acusatórios sobre a sua falta de fé, se não lhe enviarem dinheiro, neste caso funciona bem e vai lhe garantir um proveitoso ministério para muitos anos futuros.

Resumo:

Lembre-se que a natureza corrupta do homem o conduz à busca de fama e fortuna para si mesmo, excluindo o próximo. Pode ficar certo da continuação, caso se lhe ofereça a possibilidade de conseguir riqueza e poder. Tendo isso em mente, continue a apelar para a sua natureza corrupta, espiritualizando-a, a fim de que as ovelhas pensem que as coisas que elas desejam são as que Deus quer que elas possuam. Repita constantemente frases como "Deus deseja que vocês sejam ricos, saudáveis e felizes, acima de todas as cosias". Evite as pessoas que afirmam que a maturidade espiritual é mais importante aos olhos de Deus que o sucesso financeiro. Conserve o seu rebanho longe desses tipos. Eles podem ser devastadores para o seu ministério.

Se o rebanho falhar em alguma coisa, use a intimidação e o medo para que ele continue intacto. Essa tática vai garantir a continuidade do seu próprio bem-estar financeiro. Lembre-o de que se ele falhar nessas coisas será pela falta de fé, a qual está evitando que as bênçãos de Deus aconteçam.

Lembre-se que você tem de andar conforme fala, a fim de conservar a credibilidade. Isso quer dizer: nunca mencionar que você pode pegar um resfriado, pode deixar de se sentir feliz e que está com problemas financeiros. Cometer um erro assim seria uma rápida maneira de destruir o ministério de levar o rebanho no papo. Você é o exemplo de tudo que Deus deseja para ele e demonstrar qualquer sinal de fraqueza humana vai minar tudo que você esperava conseguir. A ilusão é tudo.

Se você descobrir que alguém está querendo sair, use depressa o medo e a culpa para conservá-lo no rebanho. Uma tática muito eficiente é a de ameaçá-lo com a perda da salvação, caso ele saia. Ameace também os seus filhos, dizendo que se ele sair, seus filhos vão pagar pela sua falta de fé. Esta é uma boa maneira de conservá-lo na linha, pois a maioria dos pais ama demais os filhos.

(Traduzido do Artigo "Official Handbook Of How To Fleece The Flock For Fun And Profit")

www.obereano.blogspot.com

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Meu Desabafo sobre a Rejeição da Sã Doutrina e os Corações Frios nos Últimos Dias

"Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do Meu Nome. Nesse tempo, muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão. E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará." [Mt 24.9-12].

Escrevo este artigo porque tenho visto uma crescente frieza na igreja. Muitos que professam serem cristãos estão demonstrando um coração frio na maneira como tratam as outras pessoas. Acredito que a base para um coração frio é a rejeição da sã doutrina bíblica. Quando isso acontece, com o passar do tempo, o pecado e a contemporização entram na vida da pessoa. O resultado final é que o coração dela torna-se muito frio.

Haverá perseguição e ódio contra o povo de Deus. Os cristãos serão odiados e até assassinados neste mundo sem Deus. Os problemas no mundo separam as ovelhas dos bodes. No texto referido, vemos que haverá aversão e traição contra os cristãos.

Nos últimos dias surgirão muitos falsos profetas. Homens ímpios aparecerão na igreja para pregar doutrinas heréticas. Infelizmente, muitos serão enganados e seguirão esses falsos profetas. As pessoas que serão enganadas são aquelas que não amam o suficiente a Palavra de Deus e não a lêem diariamente.

Como resultado dos problemas no mundo, do falso ensino, dos falsos profetas e da enganação, o amor de muitos se esfriará. Isso significa que as pessoas ficarão com um coração frio. A iniqüidade crescerá no mundo. Isso significa que o pecado estará em toda a parte e será socialmente aceito. A sociedade e as pessoas em geral amarão mais as trevas do que a luz. Como conseqüência, os corações ficarão duros e o amor esfriará. Isso pode ser observado no mundo e também na igreja. O mundo está com o coração tão duro que as pessoas matam bebês inocentes no útero materno sem sentir a menor dor de consciência. Os corações estão ficando muito frios e insensíveis. Os cristãos que vivem no mundo estão rodeados por todos os tipos de pecados e de perversidade. Alguns acabam se desviando e permitem que seus corações esfriem.

A Rejeição da Sã Doutrina

Por que há uma crescente frieza na igreja? A base para um coração frio é o coração que não ama a sã doutrina. "Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas." [2 Timóteo 4:3-4]

É hora de acordar, pois os dias da rejeição da sã doutrina estão sobre nós! Muitos que professam a fé cristã rejeitaram a verdade e a sã doutrina e preferem ouvir palavras suaves, que agradem aos seus ouvidos. Quando a pessoa afasta-se da sã doutrina volta-se para o pecado e para a contemporização e um dos frutos resultantes é a frieza no coração.

Permita-me dar um exemplo: O Reavivamento do Riso, também chamado de Unção do Riso, ou Bênção de Toronto (pessoas deitam-se no chão e começam a latir como cachorros, rugir como leão, rir descontroladamente, desmaiar ou ter convulsões, como se estivessem sob um ataque epiléptico). Já ouvi testemunhos de pessoas que tiveram esse movimento demoníaco em suas igrejas. O pastor e outras pessoas ficaram envolvidos. Existem cristãos, no entanto, que vêem o perigo desse movimento maligno e se atreveram a falar contra ele. Como se recusam a participar desse grande "movimento de deus", são tachados de criadores de divisões e sem-amor. Na verdade, o problema não está com aqueles que vêem os problemas, mas sim com aqueles que não têm Deus e que não amam a sã doutrina. Lembre-se que um coração frio e a rejeição da sã doutrina andam de mãos dadas. Muitos cristãos ficaram feridos e foram forçados a deixar suas igrejas e a procurar outra, após dez ou vinte anos de participação fiel. Esse tipo de coisa está acontecendo hoje e, novamente, a base é a rejeição da sã doutrina bíblica. Quando a sã doutrina é rejeitada, o coração torna-se frio e não aceita a repreensão.

Eis outro exemplo: Todos já ouvimos falar nos mestres da fé que ensinam a tomar posse e a determinar. Eles são famosos, têm grandes igrejas e aparecem na televisão regularmente. Os pastores da linha "tome posse e determine" afirmam ter comunicação freqüente com Deus de alguma forma audível. Segundo eles, Deus lhes dá muitas instruções nas audiências pessoais que têm com o Todo-Poderoso. Infelizmente, o que Deus supostamente lhes diz não condiz com Sua Palavra já revelada na Bíblia. Além disso, eles profetizam, supostamente da parte de Deus, mas essas profecias não se cumprem. Na verdade, são falsos profetas que não ouviram palavras de Deus, mas ouviram sim, a palavra do Diabo. Sabe qual é o teste de um verdadeiro profeta de Deus? A pessoa precisa estar 100% correta durante todo o tempo quando fala as palavras de Deus. A penalidade no Antigo Testamento para os falsos profetas era a morte. Atualmente, não matamos mais os falsos profetas, mas existem muitos deles por aí. Os seguidores dos falsos profetas preocupam-se com o falso ensino e com as falsas profecias? Querem saber se esses homens são falsos profetas de acordo com a Bíblia? A resposta é NÃO. Esses homens são enganadores e enganam a muitos! Quando um cristão que ama a Deus e a sã doutrina adverte, os seguidores do profeta geralmente ficam irados e respondem com ofensas. As pessoas de coração frio, que rejeitam a sã doutrina bíblica, ficam furiosas quando seu líder "espiritual" é questionado ou tem seus ensinos comparados com os da Bíblia. Até ameaças de morte são feitas, como "Deus o destruirá por atacar seu ungido"... ou "Não fale mal de um ungido de Deus", etc. Para os falsos profetas, aqueles que amam e defendem a sã doutrina são considerados sem-amor e um câncer que causa divisões na igreja, e oram para que Deus os remova. Novamente, muitos cristãos verdadeiros têm sido feridos por essas pessoas de coração frio que amam os falsos profetas e seus falsos ensinos em vez de o Senhor Jesus Cristo. A pedra fundamental para o coração frio e sem-amor é a rejeição da sã doutrina.

O fato triste é: se as pessoas lessem suas Bíblias e tivessem um coração obediente e aberto à repreensão, os falsos profetas não prosperariam. Entretanto, eles são honrados na "TV" e muitos falam sobre suas "palavras de profecias" com grande fervor e reverência, rejeitando e atacando todas as vozes que se atreveram a contradizer as suas "profecias de deus". Novamente, vemos a rejeição da sã doutrina bíblica levando a um coração frio.

O Amor a Deus

A conclusão final é que as pessoas que rejeitam a sã doutrina não amam a Deus. "Se me amais, guardai meus mandamentos." [João 14:15]. Se eles amassem a Deus, guardariam seus mandamentos. Isso envolve ouvir a Palavra de Deus e obedecê-la; envolve também amar a sã doutrina e rejeitar a falsidade. Infelizmente, isso não acontece hoje. Em nome do amor, os falsos mestres recebem a permissão de pregar suas heresias e aquele que os desafiar é atacado como sendo causador de divisões, sem-amor e de coração duro.

"Retendo firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina, como para convencer os contradizentes. Porque há muitos desordenados, faladores, vãos e enganadores, principalmente os da circuncisão." [Tito 1:9-10]. Somos instruídos a reter a sã doutrina e a defender a fé que está sob ataque dos falsos mestres que estão em busca das riquezas e da fama terreais.

Existem muitos faladores vãos e enganadores. Lembre-se que eles prosperarão e enganarão a muitos. Infelizmente, eles já fizeram um grande infiltração nas igrejas. Como as pessoas não amam a sã doutrina, os falsos mestres são aceitos e os corações ficam cada vez mais frios à medida que cresce também a iniqüidade no mundo. "Aos quais convém tapar a boca; homens que transtornam casas inteiras ensinando o que não convém, por torpe ganância." [Tito 1:11]

Para aqueles que amam a Deus precisamos continuar a falar como Deus nos manda. Nunca desistamos de falar contra aqueles que promovem o erro e a heresia na igreja. Para aqueles que amam a Deus e que amam a sã doutrina há um vínculo de unidade. Esse vínculo é automático, porque o Espírito Santo é o mesmo dentro de cada cristão genuíno. Infelizmente, existe muito joio espalhado entre o trigo; existem lobos entre as ovelhas.

"Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós; que também vós uns aos outros vos ameis. Nisto conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros." [João 13:34-35]. Nestes dias finais, o amor de muitos está esfriando. O pecado cresceu tanto, até na igreja, que muitos desenvolveram um coração frio. No entanto, Deus ainda tem seu remanescente que o ama, que ama a sã doutrina e que ama os outros.

"Porque amavam mais a glória dos homens do que a glória de Deus." [João 12:43]. Muitos hoje estão buscando o louvor dos homens. Entretanto, o verso referido diz que há um louvor de Deus. Aqueles que amam a Deus e o buscam em primeiro lugar receberão esse louvor. Contudo, há um preço a pagar. Quando você se levanta para se opor ao joio e aos falsos mestres, deixa de ser bem-recebido em alguns círculos. Talvez precise até mesmo procurar outra igreja, se a sua estiver totalmente entregue à contemporização doutrinária e não quiser ouvir a sã doutrina. Não deixe de freqüentar a igreja, pois somos instruídos a procurar uma boa igreja e sermos participantes. Entretanto, procure uma igreja que ponha a Bíblia em primeiro lugar. Nenhuma igreja é perfeita, mas você deve procurar uma que pelo menos esteja tentando caminhar com Deus.

Apostasia nos Últimos Dias

A Bíblia ensina que haverá uma grande apostasia nos últimos dias. Por outro lado, os falsos profetas estão todos dizendo que haverá um grande reavivamento. Em breve o Anticristo aparecerá e a atual apostasia e afastamento da doutrina está preparando o caminho para um sistema religioso mundial. Esse sistema será apóstata e contrário à sã doutrina. Portanto, quando você ouvir alguém falar sobre um grande reavivamento, acautele-se. A Bíblia diz que haverá uma grande apostasia nos últimos dias, não um grande reavivamento. O reavivamento das "falsas religiões" será um grande movimento ecumênico que unirá todos os tipos de falsas religiões em uma só. Esse reavivamento não tem nada que ver com Deus... mas tem tudo que ver com o Anticristo.

Outra diferença interessante é que os cristãos genuínos estão se preparando para ir para o céu para estar com o Senhor. Por outro lado, o joio está se preparando para reinar na terra agora. O joio afirma que vai ganhar este mundo para Deus [através das "marchas para Jesus", "atos proféticos", etc.]. Sim, o mundo será conquistado e ficará unido, mas não sob Deus... será sob o reinado do Anticristo. O cristão genuíno deve erguer os olhos para o céu e alegrar-se, sabendo que o dia da redenção está próximo. Continue testemunhando para os perdidos, obedecendo e servindo a Deus como ELE deseja. Os últimos dias serão marcados por uma apostasia da sã doutrina bíblica. Juntamente com isso, haverá um aumento na frieza nos corações. O mundo não caminha para um grande reavivamento; ao contrário, caminha para uma grande apostasia.

"Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição." [2 Tessalonisences 2:3]. Este texto nos diz que o aparecimento do Anticristo será precedido pela apostasia. As pessoas apostatarão da sã doutrina bíblica. A fé uma vez para sempre entregue aos santos será rejeitada e, em lugar dela, as fábulas, [o pragmatismo] e os mitos (o misticismo) serão aceitos. O caminho estreito da salvação SOMENTE por meio do Senhor Jesus Cristo será rejeitado. Em vez disso, um falso evangelho será aceito como parte dos ensinos da religião mundial apóstata. Isso ocorrerá imediatamente antes do aparecimento do Anticristo. Estamos vivendo nestes dias agora!!

Além disso, à medida que o povo se afastar da sã doutrina, o pecado crescerá na sociedade e na igreja. Conseqüentemente, o amor de muitos esfriará. Novamente, isso está acontecendo hoje. Muitas pessoas estão com seus corações frios e endurecidos.

Em breve a igreja (o corpo dos cristãos genuínos) será arrebatada para estar com o Senhor nos céus. Após o arrebatamento, muitas igrejas não perderão uma parte significativa de seus membros. Com a remoção do restritor, o Diabo estará livre para trazer o Anticristo ao poder. Durante o reinado do Anticristo toda a sã doutrina será rejeitada e a enganação prevalecerá. Muitos acreditarão nas enganações e, portanto, serão condenados para sempre. No entanto, durante esse tempo, Deus também salvará muitas pessoas; pois elas precisarão escolher se recebem ou rejeitam a salvação que é encontrada somente no Senhor Jesus.

Conclusão

Mostramos que um coração duro e sem-amor caminha de mãos dadas com a rejeição da sã doutrina. Muitos que afirmam serem cristãos na verdade são pessoas de coração frio que não amam a sã doutrina. Elas soltam seu veneno contra aqueles que não abraçam seus erros e que as advertem sobre os perigos. Estamos também vivendo em dias de apostasia, não de reavivamento. Os falsos profetas estão dizendo que o "reavivamento" ocorrerá, mas isso não é verdade. O mundo está caminhando para seus dias mais tenebrosos. Após o arrebatamento, o Anticristo estará livre para ascender ao poder; durante o reinado do Anticristo, Deus derramará terríveis juízos sobre os ímpios. À medida que o mundo avança no pecado e na apostasia, o amor de muitos esfriará. Haverá pessoas de coração frio dentro e fora das igrejas; essas pessoas rejeitam a sã doutrina e atacam e ofendem qualquer um que se oponha às enganações que elas acolheram.

Não nos sintamos desanimados se encontrarmos pessoas de coração frio na igreja. Lembremo-nos que nossa fé deve estar firmada no Senhor Jesus Cristo e não nas outras pessoas. Continue fazendo aquilo que é certo e deseje ansiosamente o breve retorno do Senhor Jesus para levar sua igreja aos céus. Vem logo Senhor Jesus.

(Traduzido e adaptado do artigo original escrito por Alan Yusko)

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

O Pentecostalismo ou Falsificadores da Palavra de Deus

"Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrina de demônios" (I Timóteo 4.5)

As seitas pentecostais têm se desenvolvido no clima obscuro e perverso, no qual multidões têm se envolvido com doutrinas de demônios. Tal multidão é explorada de todos os meios, especialmente material. São homens e mulheres completamente cegos quanto a verdade do evangelho, pois o diabo os mantém cegos (II Co. 4.4). Isto porque em tais seitas as fábulas, o sensacionalismo e o emocionalismo estão juntos e são armas fortes nas mãos do diabo para os manter longe da luz do evangelho de Cristo. Muitos falsos batistas reconhecem-nos como crentes em Jesus Cristo, porém nós enquanto Batistas Bíblicos, conservadores, fundamentalistas e separados não podemos considerar os freqüentadores dos "depósitos" pentecostais como crentes em Jesus Cristo, nosso Único e Todo Suficiente Salvador. Isto porque os mesmos negam a doutrina da salvação eterna, e não somente isto, mas também adotam uma forma de culto completamente desprovido de qualquer base escriturística, sendo as suas doutrinas e formas de culto completamente contrário à ensinada no Novo Testamento. Portanto, enquanto crentes Batistas Separatistas devemos tomar uma atitude positiva em relação à fração pentecostal da nossa sociedade, e considerá-los como alvos missionários e fazendo em relação a eles a obra evangelística, pois Deus abomina as suas práticas religiosas, porém os ama enquanto pecadores (João 3.16).

Se não bastasse a confusão doutrinária, os pentecostais ainda promovem mais confusão na sua nomenclatura. Assembléia de Deus, ACEV, O Brasil para Cristo, Tenda da Cura Divina, A Igreja Viva 24 horas, Igreja Nacional do Senhor Jesus Cristo, Internacional da Graça de Deus, Universal do Reino de Deus, Congregação Cristã do Brasil, Chama Ardente e mais aproximadamente 35 mil nomes distintos só no Brasil, (não é exagero) todo este cartel demoníaco com o propósito de impedir que pessoas sejam salvas por Cristo Jesus. Por isso podemos aplicar também a estes novos fariseus o que o Senhor Jesus disse aos seus contemporâneos em Mateus 23.15: "Ai de vós escribas e fariseus, hipócritas; pois que percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e depois de o terdes feito, o fareis filhos do inferno duas vezes mais do que vós".

Advogam a idéia de que os seus seguidores possuem os mesmos poderes dados aos apóstolos, porém esse ensino não é encontrado na Bíblia. Não encontramos nas Sagradas Escrituras nenhuma referência de que os cristãos pediram a repetição do que aconteceu e estar registrado no livro de Atos dos Apóstolos, pelo contrário todas as referências em relação ao Espírito Santo depois de Atos dos Apóstolos cap. 2 (dois) encontram-se no passado. Citamos como prova desta assertiva Romanos 8.9 onde o apóstolo Paulo nos exorta a reforçarmos a certeza de termos em nós o Espírito Santo, quando questiona "Se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele". Ficando desta forma provado Biblicamente que o verdadeiro crente em Cristo tem o Espírito Santo habitando nele, logo o fato de alguém buscar ou pedir o Espírito Santo alegando ser crente, é uma prova clara de que o mesmo não crê em Cristo Jesus e debocha da Palavra de Deus. Não há na Bíblia o ensino de que o crente em Cristo deva buscar o batismo do Espírito Santo; tal ensino é completamente alienado das Escrituras Sagradas, na Bíblia não encontramos em nenhum lugar o ensinamento sobre essa busca pelo o batismo do Espírito Santo por parte do crente salvo, muito menos que falar línguas é a prova do batismo do Espírito Santo. O apóstolo Paulo ensina em Romanos capitulo 8.15 "...mas recebeste o Espírito de adoção de filhos,..." deixando claro que o crente recebe o Espírito santo quando reconhece a Cristo como o seu único e todo suficiente salvador. Sendo assim, todos os salvos são habitados pelo Espírito de Deus. E em I Coríntios capitulo 3.16 "Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?", portanto, a Bíblia demonstra que todos os salvos são habitados pelo Espírito Santo. Sendo importante destacarmos que nesta mesma epístola Paulo questiona da seguinte maneira: "Falam todos em outras línguas?" I Coríntios 12.30, deixando evidente que na Igreja de Coríntios nem todos falavam em línguas, no entanto todos eram habitados pelo Espírito Santo de Deus.

No livro dos Atos dos Apóstolos encontramos quatro casos onde os fenômenos das línguas ocorreram, estes fatos são explicados por Paulo em I Coríntios 14.22 mostrando que o falar línguas é um sinal para o infiel (Israel), pois em todos os casos onde falaram línguas havia judeus. No sentido prático as línguas tiveram utilidade para unificação dos quatro grupos distintos de crentes primitivos.

Vejamos os diferentes grupos de crentes salvos pelo Senhor Jesus Cristo:

a) os que vinham do judaísmo, Atos dois;

b) os samaritanos, Atos 8.17;

c) os gentios, Atos 10.46;

d) os discípulos de João Batista, Atos 19.6;

Portanto as línguas foram utilizadas por Deus no trabalho de unificação das Igrejas primitivas vencendo assim o preconceito dos crentes judeus manifestado, por exemplo, na atitude de Pedro em relação à visão descrita em Atos 10.10-16, logo percebemos que o fenômeno das línguas foi útil no início da história da Igreja, porém o mesmo cessaria; este era o ensino em todas as Igrejas dos santos na época apostólica. Para confirmarmos essa assertiva citamos I Coríntios 13.8. "Havendo línguas cessarão" ficando no ar a interrogação, quando? A resposta encontra-se no próprio capítulo 13 de Coríntios. No versículo dez lemos: "Mas quando vier o que é perfeito, então o que é em parte será aniquilado". Os dons de sinais foram de fato aniquilados quando o perfeito foi completo, ou seja, a Bíblia, que é a única coisa perfeita existente na terra. Alguns querem colocar Cristo como "o que é perfeito", porém quando Cristo retorna não haverá mais fé, "Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem." (Hb 11:1) Logo com a Sua vinda o veremos face a face, e se estamos vendo não estamos desenvolvendo a fé. Destacamos também que com a vinda de Cristo cumpre-se a esperança, "aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Salvador Jesus Cristo" (Tt 2:13), não negamos de maneira alguma que Cristo é perfeito, o que discordamos e que neste contexto "perfeito" seja aplicado a Cristo, visto que no versículo 13 do citado capitulo o escritor sacro apresenta fé, esperança, e amor como dons que permanecem agora, como já demonstramos com a vinda de Cristo a fé e a esperança deixaram de existir permanecendo o amor. Este era o ensino em todas as igrejas dos santos na época apostólica.

Um outro aspecto onde as seitas pentecostais se colocam contra a Bíblia, é o fato de utilizarem mulheres como pregadoras e líderes de tais movimentos. É bom lembrarmos que não existe na Bíblia nenhuma passagem que autorize as mulheres a assumirem cargos de liderança eclesiástica, e muito menos serem consagradas ao pastorado e/ou ao diaconato. A Bíblia, de fato, ordena as mulheres a estarem caladas nas Igrejas (I Coríntios 14:34). O movimento pentecostal promove uma transformação na hierarquia ordenada por Deus na Bíblia, Ele ordena submissão e silencio, o pentecostalismo coloca a mulher na posição de liderança na igreja, e sobre o próprio marido. Desta forma usurpam a posição do homem que é a cabeça da mulher (I Co 11:3). A práxis pentecostal é condenada pela Escritura Sagrada "a mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição. Não permito, porem, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio". (I Tm 2:11-12)

Portanto, pelo que já foi exposto neste trabalho, fica bastante claro que os pentecostais não são conhecidos de Cristo, e a eles o Senhor dirá: "Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade" (Mateus 7:23).

Se o próprio Senhor Jesus não os conhece, não devemos reconhecê-los como irmãos, pois se assim o fizermos estaremos desagradando o Senhor e Salvador Jesus Cristo, e desobedecendo o que nos diz Romanos 16:17,18: "E rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles. Porque os tais não servem ao nosso Senhor Jesus Cristo, mas ao seu ventre; e com suaves palavras e lisonjas enganam os corações dos simples".

Pr Anísio Gomes

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

A verdadeira história das Assembléias de Deus

Temos de lembrar que todas as igrejas pentecostais nasceram de uma divisão. No caso da Assembléia de Deus a divisão foi [mais] desonesta [ainda]. Sua origem é uma origem cheia de erros. Tinham mais intenção de "pregar" aos batistas que aos incrédulos. Por onde passavam deixavam um rasto de divisões e mágoas dentro das igrejas de Cristo. Seria isso correto?

A Assembléia de Deus é a mãe e avó de todas as igrejas pentecostais no Brasil (com exceção da Cristã do Brasil). Ela é mãe da Quadrangular, Brasil Para Cristo, Deus é Amor, Só o Senhor é Deus, Casa da Benção e aí a fora. Estas igrejas, por sua vez, são mães de outras igrejas como a IURD, Vida Nova, Internacional da Graça entre muitas outras consideradas neopentecostais. Vejamos abaixo como surgiu a Assembléia de Deus no Brasil. As informações abaixo são tiradas dos livros A História dos Batistas e do Diário de Gunnar Vingren e Daniel Berg, fundadores das Assembléias de Deus no Brasil.

Em 19 de Novembro de 1910 desembarcaram no Brasil dois "pastores batistas". Chamavam-se: Gunnar Vingren e Daniel Berg. Estes dois foram "pastores batistas" nos Estados Unidos, mas devido a apostasia de se unirem ao movimento pentecostal realizado na Rua Azuza 312, em Los Angeles, foram excluídos das igrejas batistas por causarem a divisão dos membros e distúrbios da ordem na igreja. Ao chegarem no Brasil foram apresentados ao pastor Eurico Nelson, o pastor da Igreja Batista de Belém do Pará. Pediram entrada nessa igreja, entrada esta que foi de princípio negada por não terem carta de transferencia (e nem poderiam ter, pois tinham sido excluídos). Omitindo que eram membros excluídos, apresentaram-se como verdadeiros pastores batistas, e isso lhes deu o privilégio de morarem no porão da igreja até conseguirem se instalar em outro lugar. Por aquele tempo o pastor Eurico Nelson precisou viajar para o Sudeste do país, pois veio a uma Convenção Batista. Foi neste tempo que esses dois "pastores" agiram de má fé e causaram um grande problema ao pastor que gentilmente os recebeu.

Sem a presença do pastor, e ajudado por um co-moderador da igreja, José Plácito da Costa, eles conseguiram filiação na igreja, mesmo sem as cartas de transferência. Começaram então a induzir alguns membros a ficarem após o culto a assistir suas reuniões, às quais, eram feitas sem o conhecimento da igreja e no porão onde estavam instalados. Em seus cultos havia muito barulho e êxtases, e alguns começaram a dizer que tinham recebido dos dois pastores o que eles chamam de "batismo com fogo".

Um irmão da igreja, o evangelista Raimundo Nobre, descobriu o caso, e logo comunicou a igreja. Foi feita uma reunião para apurar o caso, e nessa reunião os dois pastores e mais onze membros da igreja foram excluídos, isso no ano de 1910. Segundo o historiador da Igreja Batista de Belém, Antônio B. Almeida, Vingren e Berg continuaram a realizar trabalho de proselitismo entre os membros da Igreja, em lugar de evangelizarem os descrentes (é típico deles). O proselitismo perdurou por toda a sua vida. O próprio Vingren afirma em seu diário que: "Por onde íamos, buscávamos nas igrejas e nas casas dos batistas infundirem o novo batismo". Este "novo batismo" constituía de doar aos crentes já convertidos o "dom de línguas".

O que os fundadores da Assembléia de Deus fizeram foi desonesto. Mentiram que eram batistas quando não eram. Diziam estar em comunhão quando na verdade foram excluídos. Esperaram um pastor viajar para poderem agir de uma forma sorrateira. E pior, dividiram um corpo de Cristo. A Bíblia é clara sobre esse assunto de divisão: "Quem comigo não ajunta se espalha". Dividir a Igreja de Cristo é dividi-lo, e todas as igrejas pentecostais que saíram dos grupos reformados deixaram para trás grandes divisões e mágoas contra pessoas que simplesmente amavam Jesus da mesma maneira que se amou a dois mil anos atrás.

Pr. Gilberto Stefano

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Seria Bíblico as Divisões Causadas Pelo Pentecostalismo?

"Rogo-vos, porém irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos a mesma coisa, e que não haja entre vós divisões, para que sejais unidos no mesmo sentido e no mesmo parecer".(I Co 1,10)
"Procurando guardar a unidade do Espírito no vinculo da paz". (Ef 4.3)

Entre os fundadores do pentecostalismo havia uma palavra de ordem: Divida-os! Não meus irmãos. Não é assim que aprendemos de Cristo. Vejamos o caso das igrejas batistas renovadas, ou do evangelho pleno como algumas são chamadas. As renovadas saíram de nosso meio em 1965, justamente no ano da grande campanha evangelística. Pergunto: Deus estava no meio dessa divisão? É evidente que não. Naquele ano as igrejas batistas estavam empenhadas a evangelizar o Brasil! Porém, algumas delas, lideradas pelo pastor Enéias Tognini, estavam preocupadas em dividir o corpo de Cristo. Essas igrejas foram excluídas da comunhão das igrejas batistas e se foram excluídas seus pastores não tinham mais a autoridade de batizar nem dar autoridade para o ato. Mesmo levando o nome de batistas, devem ser tidas como as outras igrejas pentecostais. Porque se são chamadas batistas? Primeiro porque foram excluídas. Segundo porque nasceram de divisões, e Deus não está no meio de divisões.

Já as igrejas batistas do Evangelho Pleno, só pelo nome ofende nossas co-irmãs das quais elas se originaram. Se intitulam-se do evangelho pleno é porque a outra não é. Então, que tipo de evangelho tem a outra? Pelo que dizem temos um evangelho pela metade. Notem, além de saírem excluídos por causarem divisões, tem a coragem de colocar um nome ofensivo às igrejas verdadeiras.

Pr. Gilberto Stefano

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Observações de Pentecostalismo por um Ex-Pentecostal

De uma correspondência sobre o Pentecostalismo veio a tona estas observações

1). O que o irmão citou sobre o Pentecostalismo realmente não é tudo. Porque o que acontece lá dentro é muito, muito pior. Eu estive mais de trinta (30) anos dentro daquele movimento. Vi quase tudo o que ocorre lá dentro. É de arrepiar. Hoje, depois que o bom Deus abriu os meus olhos, vejo o quanto eu estava enganado. Sair do Pentecostalismo, para mim, foi uma das maiores bênçãos da minha vida. Nesses anos todos em que estive lá dentro a única coisa boa que posso falar de lá é que há forte motivação e entusiasmo para fazer as coisas. Os pentecostais são muito dedicados. Mas, diga-se de passagem, os Mórmons, Testemunhas de Jeová e Maometanos também o são. Muitos dos pentecostais também são muito sinceros e realmente querem agradar a Deus, mas estão cegos. Têm um zelo sem entendimento (Rom. 10.2).

2). Eu comecei a conhecer o Evangelho numa igreja pentecostal. Eles não davam ênfase na leitura da Bíblia, mas eu queria conhecer a Palavra de Deus. Fui ensinado que os demais crentes evangélicos não tinham o Espírito Santo. Também fui ensinado que os pastores são ungidos de Deus, quase infalíveis. Ninguém podia julgar o que diziam. Ai daquele que tocasse o 'ungido de Deus'. Seria amaldiçoado. Aliás, amaldiçoar as pessoas que discordam deles é uma prática comum no meio pentecostal. Eu mesmo fui 'vítima' dessa 'maldição' algumas vezes. Dois líderes que mais considerava me 'amaldiçoaram'.

3). Línguas estranhas. Aqui foi onde tudo começou. O movimento pentecostal começou com a chamada 'segunda bênção', que tinha como sinal ou evidência o 'falar em línguas'. Todos ali são quase que obrigados a falar em 'línguas'. Durante todo esse tempo que estive ali eu nunca ouvi uma língua estrangeira ou um dialeto. O que ouvia eram algaravias, sons incompreensíveis que não diziam nada e que cada um interpreta como quer. As 'profecias' eram sempre em torno de coisa óbvias, ou coisas que ninguém podia provar, e até bobagens como 'profecias' sobre a vida dos outros, relacionamentos, vestimentas, etc. As 'revelações' nunca podiam ser comprovadas. Se era sobre alguma enfermidade, geralmente nem a própria pessoa tinha conhecimento da enfermidade. Assim por diante.

4). Mais tarde alguns setores do movimento pentecostal não enfatizavam tanto a necessidade de falar em 'línguas', mas o ensino sobre uma 'segunda benção', uma experiência após a conversão, continuou sendo ensinado. Essa 'segunda benção' não é de graça ou por graça. Você tem que 'pagar o preço'. Oração, jejuns, santificação, busca, busca e mais busca. E mesmo assim, nem todos a recebiam. Eu ficava desesperado. Achava que não era crente. Pensava que Deus não me amava. Após anos de angustiante luta pela 'benção' que nunca vinha, fui ensinado a tentar emitir alguns sons com a boca. Qualquer coisa servia - glo-glo-glo-glo... umama-umama-umama... alabas-alabas-alabas... ripalá...balalá... etc. De repente você está 'falando em outras línguas'. Quando não lhe vem nada a mente você fica observando como os outros falam e você os imita. Quem está fora do movimento vê o absurdo, mas quem está lá dentro acha aquilo normal. Fui ensinado a não pensar mas apenas sentir. Se alguém não consegue 'falar em línguas' é porque tal pessoa é muito racional. "Não pense" diziam "apenas flua, deixe o espírito fluir". É verdade que há também os que 'fluíram' a coisa sem muito esforço, mas a maioria pena para consegui-lo.

5). Depois que você 'aprendeu' a balbuciar as algaravias, você fica dependente delas e não consegue mais orar sem que aquela coisa lhe encha a mente. É maligno! Todos que 'oram em línguas' (algaravias) precisam de libertação. Precisam desaprender aquilo que aprenderam. As algaravias atrapalham você de orar, porque a oração deve ser pensada e quando você pronuncia as tais algaravias não precisa pensar em nada, ou pior pode pensar em qualquer coisa, menos no que está falando. É ridículo!

6). Quando numa reunião todos começam a dançar e falar algaravias, uma 'alegria' geral toma conta do ambiente e vira uma 'farra'. Um solta gargalhadas, outro cai ao chão, outro pula, treme, etc... Claro que isso não acontece em todas as reuniões. Mas acontece demais por lá. Os pentecostais são ávidos por 'novidades', e não pelas "antigas veredas" (Jer. 6.16).

7). Espiritualidade de fato, nunca vi ali dentro. Vi, isso sim, muita carnalidade. As pessoas 'falavam línguas' mas mentiam, roubavam, adulteravam, brigavam, agiam com brutalidade, faziam negócios escusos, enganavam os irmãos, eram insensíveis, deselegantes, etc. Isso tudo eu vi, e não uma só vez, mais muitas vezes. Eu poderia falar indefinidamente, por horas. De modo que o tal 'enchimento' do Espírito não adiantava nada.

8). O que fez sair de lá? Primeiro é Deus quem nos abre os olhos. É exatamente como na conversão ou como para alguém sair de uma seita. Só Deus. Mas por outro lado, vários fatores me motivaram a sair daquele movimento. Primeiro eu via que, embora nos dissessem que conosco acontecia exatamente igual como no primeiro século da Igreja, eu nunca vi, nem as línguas, nem os sinais apostólicos, nem as maravilhas que aconteceram no primeiro século. Em mais de 30 anos eu nunca vi algo que realmente me reportasse aos tempos apostólicos. Nunca. Nada. A falsificação é bem ruim. Havia uma preocupação dos pastores com o 'falso', isto é, crê-se que muito do que acontece no meio pentecostal é falso, mas que existe o verdadeiro. Mas enquanto se está atrás do suposto 'verdadeiro' todos acabam envolvendo-se com o falso.

9). Eu via que na Bíblia era muito diferente. E ficava deprimido por não ver acontecendo aquilo em nosso meio. Claro, nem podia ser diferente, pois a época dos milagres apostólicos já passou. Os apóstolos passaram. Os sinais dados por Deus para autenticar a mensagem apostólica também ficaram no passado. Demorei para entender isso, mas entendi a tempo. Li muitos livros antigos, dos homens sérios do passado. Então vi que algo estava errado. Ou com eles ou conosco.

10). Eu aprendi a observar a história da Igreja. Temos muito a aprender com a história. A Igreja de Cristo existiu na terra por 1900 anos sem o movimento pentecostal. Irmãos e irmãs, enfrentaram Roma, os Césares, os Papas; encararam as feras, as arenas, as fogueiras, escreveram livros que nos abençoam até hoje, e tudo isso fizeram 'sem o Espírito'??? Será que aqueles irmãos não foram cheios do Espírito??? Segundo os pentecostais, só eles têm o Espírito e essa bênção foi 'descoberta' só pelo final do século XIX e século XX. Teria Deus deixado Sua Igreja na terra por 19 séculos sem uma bênção tão especial e necessária??? E se aqueles irmãos do passado não tinham essa bênção, como conseguiram enfrentar o que enfrentaram? Vencer e trazer a 'chama do Evangelho' até nossa geração? E mais, se eles não receberam o Espírito Santo porque não buscaram, então eles cometeram um grande erro. O fato é que eles foram muito diferentes dos crentes das últimas gerações. Então ou eles erraram lá ou nós erramos cá. Os dois grupos não podem estar certos. Um dos dois está errado. E eu prefiro crer que os irmãos (remanescentes) daqueles 19 séculos estavam certos, e os pentecostais estão errados.

11). Há alguns anos fizemos um estudo sobre os efeitos do movimento pentecostal sobre a Igreja, seus principais expoentes, e vimos que esse movimento dividiu, criou inimizades, e seus principais lideres se envolveram com falsos ensinos, heresias, escândalos morais, crimes, etc. Por esse estudo eu vi onde desembocou esse movimento. Toda heresia, toda irreverência, toda adulteração nos cultos, todo mundanismo dentro das igrejas, todo comércio vergonhoso do evangelho que vemos hoje, tudo isso teve sua origem no movimento pentecostal. Se não tudo, pelo menos 99%. Disso estou certo. Outra coisa que chamou-me a atenção foi que todos os livros profundos sobre teologia, comentários bíblicos, etc, foram escritos por não-pentecostais. Dos escritores e teólogos pentecostais só li coisas superficiais e de pouca utilidade.

12). A experiência (negativa) também ajudou bastante em minha decisão de abandonar o pentecostalismo. Eu havia sido ensinado a não aceitar nenhuma doença. Contudo eu tenho enxaqueca e nunca fui curado. Deus tem orientado o tratamento e hoje estou muito melhor. Deus me ensinou que ninguém tem o dom de curar hoje. Ele cura, quando assim deseja, mas se não, Ele irá sustentar nossa vida com Sua graça. E esse é o melhor para nós. Contudo, vi pessoas declarando que estavam saudáveis, confessando que não estavam doentes, que não aceitavam nem mesmo o diagnóstico médico, e as vi morrerem doentes e 'brigando' com Deus e revoltadas com Ele. Minha esposa é médica. Ela me conta que atende inúmeras pessoas evangélicas, principalmente das igrejas pentecostais, que estão doentes, deprimidas, agitadas, perturbadas emocionalmente, desequilibradas. Muitas dessas pessoas são líderes em suas igrejas (pastores, presbíteros, líderes de célula, líderes de coral, integrantes de bandas, etc. Hoje eu sei que o pentecostalismo faz muito mal à saúde das pessoas.

13). Se você falar com um pentecostal, talvez ele aceite que existe muita coisa falsa por lá - línguas falsas, curas falsas, revelações falsas - mas ele continua crendo que existe o verdadeiro. Agora, eu nunca vi nada ali que fosse digno de ser testemunhado. De fato, tenho é muita vergonha do meu tempo no pentecostalismo. Mas creio que o Deus Soberano usa todas as coisa para nos ensinar.

14). Outra observação que me fez aborrecer o pentecostalismo foi quando comprovei que não éramos os únicos que 'falávamos em línguas' (algaravias), mas que isso era também 'privilégio' dos Católicos Carismáticos, adoradores da 'Virgem Maria' (ou melhor, da Deusa-Mãe), também dos Espíritas, invocadores de estranhas entidades, e também dos Mórmons que seguem o falso profeta Joseph Smith e seu 'anjo' Moroni, e que até os Hindus e Maometanos 'falam línguas' (algaravias). Quando vi que os pentecostais estavam na mesma categoria dessas seitas, isso me enjoou. E não apenas eles manifestam as 'algaravias', mas também fazem 'curas e milagres' muito parecidos com os curandeiros pentecostais.

15). O crescimento espantoso do movimento pentecostal também me 'inculcou'. O Senhor Jesus disse que a porta é estreita e o caminho apertado e são poucos os que acertam-nos. Então, multidões não entram pela porta estreita e sim pela larga. Elas não andam no caminho restrito e sim no espaçoso e liberal. Quando os pentecostais proclamam que estamos vivendo um grande avivamento, caem num ridículo porque nunca tivemos uma geração de crentes tão 'incrédulos', desobedientes, mundanos, imorais. Políticos evangélicos são corruptos, cantores gospel são verdadeiros mercadores, pastores, ou bispos, bispas, apóstolos e apóstolas são 'trambiqueiros'. Nunca se barateou tanto a mensagem do evangelho, nunca se vulgarizou tanto a mensagem da cruz do Calvário, nunca as coisas estiveram tão vergonhosas. Avivamento? Onde? O que vemos, isto sim, é um 'reavivamento' do paganismo, do espiritualismo, do misticismo, da fé metafísica. Mas não um avivamento da Igreja de Cristo. Ainda não.

16). Quem está fora do pentecostalismo percebe que eles dão uma ênfase no Espírito Santo em detrimento de Jesus Cristo. Mas o que ocorre é pior que isso. Nem mesmo o Espírito Santo recebe qualquer honra ali. Quando eles enfatizam o Espírito Santo é só por causa do Seu poder. Tudo o que querem é o poder do Espírito para fazerem maravilhas. Então, de fato, nem mesmo é a Pessoa do Espírito que enfatizam, mas o poder dEle. E não querem o poder do Espírito para serem bons esposos, bons pais, bons cidadãos, bons políticos, bons ministros de Cristo, mas querem ser 'poderosos' para serem adorados como pequenos deuses. É só por isso que falam muito no Espírito Santo.

17). Li sobre os 'antídotos' que vocês sugeriram para resguardar as igrejas sadias (batistas) do veneno do pentecostalismo. Achei-os bons, mas temos que ser absolutamente radicais. Não podemos ceder nem num milímetro. Se abrirmos um milímetro o mal entra e aí não há limites. Vejo que muitos batistas e outros crentes históricos pensam que a coisa não é tão grave. Digo que é muito pior do que se pode imaginar. Por isso precisamos nos humilhar debaixo das mãos de Deus e lhe pedir misericórdia.

Nelson Nincao

www.obereano.blogspot.com

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Não sou Pentecostal ou Carismático

Uma análise à Luz da Palavra do Senhor

"O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá". (1Co 13:8)

Eu não sou Pentecostal. Nem carismático. O Pentecoste só ocorreu uma vez, inaugurando a igreja (Atos 2). Tenho o Espírito Santo como todo aquele que é nascido de novo, pela fé EXCLUSIVA em Jesus Cristo e em Sua Palavra (João 3:3-7). Mas, dizer que sou pentecostal, "na-na-ni-na-não".

Esclareço que escrevo sobre este assunto, para contestar, biblicamente, as doutrinas pentecostais ou carismáticas (At 17:11) e não aqueles que as seguem. Mas, se alguém interpretar, equivocadamente, como "preconceito" ou coisas do gênero, o que posso fazer? (Gl 4:16)

Gostaria que o leitor analisasse cada versículo bíblico que será citado neste artigo, estudando-o, com humildade, sem idéias pré-concebidas (Atos 17:11; 1Jo 4:1), aceitando o que a Bíblia nos ensina, pois ela é e deve ser, sempre, nossa única regra de fé e prática!

Não sou pentecostal, muito menos carismático, porque:

* nessas doutrinas, o Espírito Santo tem sido exaltado, sendo que, o que lemos na Bíblia é que Ele não fala de Si próprio, mas sim de Cristo e glorifica somente Cristo Jesus como Senhor e Salvador (Jo 16:13-14);

* os pentecostais e carismáticos não obedecem ao ensinamento bíblico quanto ao "dom de línguas". Temos, a este respeito, quatro normas: a) Línguas eram sinais para os judeus incrédulos (Is 28:11; 1Co 1:22; 14:21-22); b) Somente duas ou, no máximo, três pessoas podiam falar numa reunião (1Co 14:27); c) Somente era permitido falar se houvesse intérprete presente (1Co 14:27-28); d) O dom de línguas foi temporário (1Co 13:8-10);

* não falo em "línguas estranhas", pois a Bíblia se refere a línguas que eram "desconhecidas" pelo falante e não a línguas ininteligíveis. O apóstolo Paulo preferia falar 5 (cinco) palavras do seu próprio idioma e entendimento do que 10.000 (dez mil) palavras em línguas desconhecidas (1Co 14:19-20). Toda vez, no N.T., que alguém falou em línguas, falou em línguas dos estrangeiros presentes no local, mesmo sem tê-las estudado ou aprendido, e os estrangeiros os entenderam perfeitamente. Lemos em Atos que, na ocasião do Pentecoste, havia pessoas de "... todas as nações que estão debaixo do céu" (At 2:5) e todos entenderam o que os discípulos falaram (At 2:8, 11);

* já sou batizado, pois nasci de novo pela fé em Jesus Cristo, e o Espírito Santo já habita em mim, não havendo na Bíblia a menção a nenhum "segundo batismo" (Mc 16:16; 1Co 3:16; 6:19; Gl 3:27; Ef 4:5, etc). Temos somente 3 casos, na Bíblia, de pessoas que receberem o batismo com o Espírito Santo de uma forma especial: os judeus, em Jerusalém, por ocasião do Pentecoste (At 2); os samaritanos, que eram um povo misto entre judeu e gentio (At 8:17) e os gentios (At 10:44-46). Com estes fatos, Deus mostrou que podiam ser salvos todos, tanto judeus, como povo misto entre judeu e gentio (samaritanos), como também os demais gentios (que é o nosso caso, hoje, como igreja). Todos os que vierem a crer em Jesus Cristo, desde então, já são batizados no Espírito Santo (1 Co 12:13); a pessoa recebe o Espírito Santo quando se converte (Ef 1:13) e, se alguém ainda não tem o Espírito Santo, é porque não é salvo, pois não se converteu, não nasceu de novo (Rm 8:9);

* não quero ser "batizado pelo fogo", pois, no contexto de Lc 3:17 e Mt 3:12, a Palavra de Deus nos explica que o fogo representa castigo em fogo inextinguível. Alguns dos ouvintes dessas passagens seriam batizados com o Espírito Santo, e outros deles (os que não cressem) seriam imersos no fogo do castigo eterno, por terem amado mais as trevas que a luz (Jo 3:19). O que o cristão deve procurar, sim, é ficar cheio do Espírito Santo (Ef 3:19; 5:18);

* não compro livros com "fogo" na capa, de jeito nenhum, pois o fogo de Deus é para o juízo e condenação, como já foi mostrado. Ai dos que clamam por fogo! (Mt 3:12; 13:40; 25:41; 2Ts 1:7-8; Hb 12:29, etc);

* não tenho o "dom de curar", pois o mesmo não existe mais (Fp 2:26-28; 1Tm 5:23; 2Tm 4:20). Entretanto, creio que Deus pode curar, sim, quem e quando Ele desejar, pois Ele é Soberano. Posso orar por um enfermo e creio que Deus poderá curá-lo "se for da Sua vontade" (Tg 5:14). Mas, "Euzinho da Silva" não tenho o "dom de curar" ninguém;

* não grito na igreja, não danço, não requebro, não faço coreografias, etc. Muitos entendem a 1Cr 15:29 erroneamente, pois Davi não "dançou" diante da arca da aliança, mas deu saltos de alegria, conforme se entende do estudo do grego. Note que "râqad", a palavra usada, não significa dança sensual, pois é a mesma palavra usada para os pulos dos bodes barbudos, em Is 13:21! E os pinotes dos bodes são muito diferentes dos requebros dos carismáticos. Note também que esta tem que ter sido a primeira vez que Davi fez o que fez, do contrário, Mical não teria se surpreendido e indignado tanto, não é? Foi também a única vez que alguém râqad (deu grandes saltos de alegria, o que é completamente diferente de dançar) em frente da Arca, chegando à sua cidade ou em qualquer outra ocasião de invulgar alegria no Senhor, senão a Bíblia narraria detalhe tão importante. E, mesmo assim, Davi não se encontrava em um culto a Deus, naquela ocasião, pois não estava no templo, mas na cidade. Se ele estivesse no templo, em um culto a Deus, e SE estivesse realmente dançando (da maneira que os carismáticos e pentecostais fazem hoje em seus cultos), mesmo assim, este não seria um exemplo a ser seguido por nós, pois somos igreja (gentios) e não judeus! No culto que prestamos a Deus, tem que haver respeito e reverência e não uma festa da carne, um Carnaval (1Co 10:32, Ef 5:19; Cl 3:16). A verdadeira adoração deverá ser feita "... em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem" (Jo 4:23) e, tenho lá minhas restrições à tal Música Cristã Contemporânea, onde há mais letras heréticas que tudo;

* não entro em êxtase, não tenho "riso santo", não tenho dentes de ouro, não sinto eletricidades pelo corpo, não sou místico, nada disso (e nem quero. Deus me livre!). O culto a Deus deve ser prestado de forma racional (Rm 12:1);

* não caio na unção, pois a unção foi dada uma vez por todas à igreja, no dia do Pentecoste, e permanecerá até a vinda do Senhor (1Jo 2:20, 27) e não precisamos de "renovo" da unção;

* não busco sinais, até porque, quem os busca, são os judeus e eu não sou judeu (Mt 12:38; 16:1; Jo 2:18, 23; 3:2; 4:48; 6:2, 30; 11:47; 12:37; 20:25; At 8:6). Eu creio em Jesus Cristo, pela fé, pela Palavra e não preciso de sinais para crer (Jo 20:29; 2Co 5:7). Os sinais e prodígios serviram para autenticar o ministério dos apóstolos e discípulos, confirmando a Palavra, mas suas missões já terminaram, com o fechamento do cânon (Mc 16:20; At 2:43; 5:12; 6:8; 14:3; Rm 15:19; 2Co 12:12; Hb 2:4) não havendo mais apóstolos depois de Paulo, que foi o último (1Co 15:9; Gl 1:15-16; Cl 1:24-25; 1Tm 2:7; 2Tm 1:11); ["Todos os milagres/sinais/prodígios/maravilhas realizados através de crentes, desde Atos até Apocalipse, foram dons concedidos como características exclusivas e identificatórias (ver 2Co 12:12) dos 13 apóstolos e dos 70 discípulos = 83 varões ex-israelitas escolhidos pelo Cristo manifestado em carne e osso, tendo eles sido testemunhas oculares de todos os dias dos mais de 3 anos de ministério de Cristo na terra, e da Sua ressurreição corporal. Por isso, na Bíblia somente encontramos esses 83 apóstolos e discípulos como homens através dos quais Deus concedeu o dom de operar milagres/ sinais/ prodígios/ maravilhas"]

* não quero ser enganado por espíritos enganadores e falsas doutrinas. Eu pensava que os ímpios é que não suportariam a sã doutrina nos tempos finais. Mas, hoje, vejo que Mt 7:22-23, a 1Tm 4:1 e a 2Tm 4:3 estão mais direcionadas aos crentes "nominais" (e aqui estão incluídos os buscadores de "sinais e prodígios"), pois eles é que operam "sinais e maravilhas" e são eles que não estão suportando a sã doutrina, amontoando para si "doutores", conforme as suas próprias concupiscências, dando ouvido a doutrinas de demônios;

* não quero ser iludido por uma falsa compreensão de sinais e prodígios/milagres. Os relatos bíblicos nos mostram que os milagres sempre tiveram propósitos específicos: a) no A.T., era para provar que Deus é o Senhor (Êx 7:17; 8:22; etc); b) no N.T. era para provar que Jesus é o Filho de Deus (Jo 20:30-31); c) nestes últimos dias, a "terceira onda de sinais e milagres" está predita na Bíblia para pouco antes do arrebatamento e o início da Grande Tribulação. Portanto, trata-se da nossa época. Esta onda acontece sob o poder de Satanás, mediante falsos cristos e falsos profetas, a fim de preparar as religiões para a adoração do Anticristo (Mt 24:24; 2Ts 2:9-12; Ap 13:11-14). Todos os textos da Bíblia que falam sobre sinais e milagres (prodígios/maravilhas), para a nossa época, referem-se à atuação de espíritos enganadores que preparam o caminho para o Anticristo. Isso não significa que Deus não possa fazer milagres, isoladamente; porém, essa onda frenética de movimentos milagreiros, "cultos de milagres" pré-agendados, etc., não pode ser atribuída a Deus. Creio que quem está operando supostos "milagres", hoje em dia, são falsos profetas (Mt 7:22; Mc 13:22-23) e espíritos enganadores e doutrinas de demônios (1Tm 4:1). E estas operações são por intermédio da mentira, da operação do erro (2Ts 2:9-12). Mateus 7:22-23 é um importante alerta: Qual é o grupo que enfatiza "profetizar, expulsar demônios, fazer maravilhas (milagres)", nestes últimos tempos? São as igrejas pentecostais e carismáticas. Este texto nos mostra que estas pessoas se iludem, pensando que são salvas porque conseguem fazer coisas fantásticas, que os demais crentes tradicionais (a quem eles chamam de "frios" ou "mornos") não conseguem. E o fato de a Bíblia destacar, neste contexto, a palavra "muitos", isto mostra que haverá uma multidão de pentecostais e carismáticos ficando fora do céu, porque se deixaram enganar pelos sinais, prodígios, milagres e maravilhas;

* não vivo sob a Lei, sob os costumes e festas judaicas, haja vista o ensino neotestamentário do fim da Lei mosaica em Cristo Jesus (Lc 16:16; Rm 14:5, 17; Gl 3:23-25; 5:4; Ef 2:15; Cl 2:14-16). Também não sei tocar o shofar, pois não sou judeu e não pega bem tocar "berrante" dentro da igreja (1Co 10:32; 2Co 6:3);

* não vivo sob as doutrinas do A.T., apesar de toda a Bíblia ser importante para o crente (2Tm 3:16-17); mas a doutrina que me guia, como igreja/gentio que sou, são as Cartas do apóstolo Paulo ("O apóstolo dos gentios" - At 9:15; 13:46-48; 18:6; 21:19; 22:21; 28:25-29; Rm 11:13; Ef 3:1, 8; Gl 1:15-16; 1Tm 2:7; 2Tm 1:11), as Cartas Paulinas (de Romanos a Filemom); pois não sou judeu, mas gentio (Rm 9:24-26; Gl 3:8; 3:14; Ef 3:6; Cl 1:27; 2Tm 4:17, etc), sendo salvo pela graça, mediante a fé, e não por obras ou por "cumprir a Lei" (Gl 5:4; Ef 2:8-9), pois Jesus Cristo já cumpriu a lei e os profetas e está tudo consumado (Mt 5:17; Jo 19:30; Ef 2:15; Cl 2:14);

* eles não obedecem aos princípios bíblicos quanto ao ministério da mulher na igreja, pois hoje há até mulheres "profetas, profetizas, pastoras, diaconisas", etc., sendo que a mesma 1 Coríntios que é tão louvada pelos pentecostais fala que é VERGONHOSO a mulher falar nas Igrejas (1Co 14:34-35; 1Tm 2:12) ou exercer liderança sobre dos homens (1Co 11:3; Ef 5:23); quem dirá pregar ou se intitularem "pastoras" e "bispas" (e até "apóstolas");

* não sou adepto do "Movimento da Batalha Espiritual", pois, na cruz do Calvário, Jesus Cristo triunfou sobre os demônios (Jo 12:31-33; Cl 2:14-15). Não há nada no texto bíblico que dê margem às técnicas especiais de "caça ao Diabo" e "entrevistas" com o mesmo, ensinadas pelo referido Movimento;

* não creio na "Teologia da Prosperidade", pois o próprio Jesus Cristo não tinha onde reclinar a cabeça (Mt 8:20) e as bênçãos prometidas aos crentes (igreja) são, primeiramente, espirituais e não materiais (Ef 1:3). Deus nos abençoa? Sem dúvida alguma! Porém, não temos que ser gananciosos (Mt 6:25-31; Hb 13:5); e, não temos direito algum de "reivindicar" ou mesmo "determinar" alguma coisa, pois não há base bíblica para isto;

* não creio que eu precise "perdoar a Deus". Na Bíblia, não há nenhum versículo que justifique tal heresia;

* não creio em "maldição hereditária", pois a maior das maldições que alguém pode sofrer na vida é estar sem Cristo. Quem está em Cristo (os salvos), tem a maior das bênçãos espirituais e nenhuma maldição é possível contra ele (Ez 18:1-4; Mt 11:28; Jo 8:36; Lc 4:18; Rm 8:1; 1Co 6:11; 2Co 5:17; Fp 3:13-14; Hb 7:25; 1Jo 2:1);

* não creio em "perda de salvação", pois, a Bíblia nos garante que uma vez salvo, sempre salvo, pois o crente está selado no Espírito Santo (Ef 1:13; 2Tm 2:19) e este selo é inviolável e irrevogável (Es 8:8; Dn 6:12) e tem o penhor do Espírito Santo como garantia segura e inabalável da salvação, pois quem nos mantém salvos é o Senhor e não nosso esforço pessoal (Jo 3:16; 10:29; Rm 8:33-34; 2Co 1:22; 5:5; Fp 1:6; 2:13);

* não consulto, nem creio em "profetas" modernos (ou "videntes", ou "sonhadores"), pois a Bíblia proíbe a "cartomancia evangélica" (Jr 5:13), e Jesus Cristo disse que "... A lei e os profetas duraram até João" (Lc 16:16a), pois a linhagem de profetas terminou com João Batista (Mt 11:13). E, depois de João Batista, não nasceu mais profetas, sendo que os que profetizaram depois de João Batista, eram nascidos antes dele; logo, eram mais velhos que ele. Jesus cumpriu a mensagem dos profetas (Mt 1:22; Mt 26:56; Lc 24:44);

* não faço profecias (que não passam de "profetadas"), pois o "dom de profecias" não existe mais (1Co 13:8-10). Nem acredito em "novas revelações proféticas", ou em quem as faça, atualmente, pois a revelação de Deus aos homens já está finalizada, com o fechamento do cânon das Escrituras. A Bíblia proíbe quaisquer acréscimos às Escrituras (Dt 4:2; Pv 30:6; Gl 1:8-9; Ap 22:18-19) e Deus só nos fala, nestes últimos dias, através da Palavra (Hb 1:1), como resposta às nossas orações, sendo que Jesus Cristo foi a máxima revelação de Deus aos homens, não havendo mais "revelações". Deus já nos deu por escrito tudo o que necessitamos para nossa vida cristã e edificação pessoal, sendo que a revelação final de Deus para a sua Igreja, hoje, é a Bíblia, a completa e perfeita Palavra de Deus! (Rm 15:4; 1Tm 4:1; 2Tm 3:16-17; 2Pe 1:3). Quem faz "revelações" atualmente são espíritos adivinhos (At 16:17-18). Quando a Bíblia diz: "Não desprezeis as profecias" (1Ts 5:20) ela está se referindo às profecias já existentes na Palavra e não a "novas profecias" ou "revelações"; pois, na Bíblia, há centenas de profecias ainda aguardando o cumprimento e não necessitamos de "novas profecias";

* prefiro permanecer no amor, que é o que nos restou (1Co 13:8, 13), pois "o amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá" , sendo que "agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor". Os "profetas" modernos deviam ter mais temor e saber que, no A.T., quando algum profeta dissesse algo, e não acontecesse, o mesmo deveria ser APEDREJADO (Lv 20:27). Já pensaram se a Lei do V.T. ainda estivesse em vigor e isso fosse feito hoje?;

* prefiro andar nas "veredas antigas" porque "assim diz o Senhor: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para as vossas almas; mas eles dizem: Não andaremos nele" (Jr 6:16).

Por fim, gostaria de fazer alguns comentários, pedidos e sugestões aos pentecostais ou carismáticos:

* que me mostrassem, NA BÍBLIA, a existência/necessidade/possibilidade de um "segundo batismo" (Mc 16:16; Gl 3:27; Ef 4:5, etc);

* que me mostrassem o relato de algum salvo, na Bíblia, que sentiu, quando da conversão, alguma sensação do tipo eletrizante a lhe percorrer o corpo, êxtases, ou quaisquer outros fenômenos semelhantes aos dos carismáticos, tão comuns em seus cultos;

* que soubessem que várias seitas, tais como o Catolicismo Romano (Movimento Carismático Católico), seitas africanas, etc, falam em "línguas ininteligíveis", têm sensações "eletrizantes" pelo corpo, sonhos, "revelações", etc. (2Co 11:14);

* que percebessem que todos esses fenômenos que ocorrem nos cultos carismáticos, não passam de um grande engodo ou sugestões psicológicas, dentre outras causas;

* que JAMAIS colocassem os sentimentos ACIMA das Escrituras (Jr 17:9). Por mais que sintam algo diferente ou extasiante (calor, sensações de "eletricidade", arrepios, tremuras, euforia, ou sei lá mais o que), confiram na Bíblia se isso provém de Deus (At 17:11; 1Jo 4:1) ou se é por causa de: emocionalismo; "hipnose coletiva" (muito comum em ambientes preparados para comover); sermões melosos e melodramáticos; testemunhos impactantes; necessidade de ser como os demais (para ser aceito pelo grupo); necessidade de "crescer" em santidade; necessidade de "evidências exteriores" de que está salvo; necessidade de "poder", etc.;

* que revejam os conceitos, ensinos, sentimentos e experiências à luz da sã doutrina bíblica (Atos 17:11; 1Jo 4:1);

* que não interpretem, erroneamente, o versículo bíblico que diz: "porque a letra mata e o espírito vivifica" (2Co 3:6b). A "letra" à qual este versículo se refere é a "Lei mosaica" gravada em pedras: "Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração" (2 Co 3:3) E, ainda: "E, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fitar os olhos na face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual era transitória, como não será de maior glória o ministério do Espírito?" (2Co 3:7). A Palavra de Deus não mata JAMAIS, pois ela é vida! (Sl 119). Jesus Cristo disse: "O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos disse são espírito e vida" (Jo 6:63).

* que não me levem a mal e prefiram uma dura verdade a uma doce mentira (Gl 4:16).

* Lembrem-se: vivemos nos últimos tempos. O que mais há, nos dias atuais, são falsos mestres, falsos obreiros, falsos pastores e falso evangelho por aí. O Senhor nos adverte que o engano será cada vez maior (2Ts 2:9; Ap 13:13-14; 19:20), pois nos aproximamos dos 7 anos da Tribulação que assolará o mundo (a igreja será arrebatada antes, mas, com certeza, viverá tempos cada vez mais difíceis nesta Terra).

* O mundo pós-moderno não aceita verdades absolutas, mas só o relativismo, pois este não ofende as "religiões". A sociedade caminha, a passos largos, para uma só religião global, onde o AMOR será mais importante para as pessoas que a VERDADE, pois o amor UNE, mas a verdade DIVIDE. Aqui está a razão do abominável ECUMENISMO! Infelizmente, muitos "evangélicos" têm contribuído para isto, por crerem e divulgarem falsas doutrinas.

* NUNCA deixem a Bíblia ser colocada em segundo plano em suas vidas, por mais lindos e tocantes que sejam os tais "sonhos, visões, experiências" carismáticos, pois "Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?" (Jr 17:9).

* NÃO QUEIRAM SER SUPERCRENTES (pois todos pecamos, infelizmente - Rm 3:23; 1Co 10:12), MAS SANTOS E BÍBLICOS SERVOS DO SENHOR, pois, mesmo que um dia tenhamos feito tudo o que Ele nos mandou, ainda assim, não passaremos de SERVOS INÚTEIS: "Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos somente o que devíamos fazer" (Lc 17:10).

Portanto, sejamos "SERVOS INÚTEIS"! Façamos tudo o que pudermos em defesa da "fé que uma vez foi dada aos santos" (Jd 3)!

Deus nos abençoe.

Humberto Fontes
Agosto/2008

www.obereano.blogspot.com

Siga por Email

Assine O Bereano

Seguidores