segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Mudou o significado da adoração?

Curiosamente, o substantivo "adoração" não aparece na Bíblia. E o substantivo "adorador" aparece apenas uma vez, em João 4:23. Todas as vezes que a Palavra de Deus toca no assunto usa o verbo "adorar", como nessa própria passagem de João, em que ele é pronunciado nove vezes.

No Velho Testamento, na esmagadora maioria das vezes, trata-se da tradução do verbo hebraico "sahah". No Novo Testamento é a tradução do verbo grego "proskyneo". Em ambos, o sentido é de prostrar-se, encurvar-se, inclinar-se, e sempre com o rosto em terra. Trata-se de um ato devido somente a Yahweh ou Jesus. Por essa razão é que Mardoqueu nunca se inclinava e se prostrava perante Hamã (o verbo é o mesmo), o que provocou a ira deste último (Ester 3:1-6).

Adoração é o ato de adorar. É a palavra correta para significar o ato de culto que se presta ao Senhor. É importante frisar que tal culto de adoração pode ser coletivo, familiar ou individual. Nos últimos tempos, porém, tem havido muita confusão sobre o que é, de fato, adoração. Nos Estados Unidos surgiu até uma classe clerical para cuidar do assunto: são os chamados "worship leaders" (líderes de adoração) cujos correspondentes no Brasil vêm a ser os "ministros de louvor" (sic), os quais invariavelmente são músicos, ou pretendem ser. Tal classe é um sub-produto das mega-igrejas e da indústria de entretenimento "gospel" americanas, coisa que, infelizmente, se reproduz no Brasil.

E aí está o primeiro problema: adoração tornou-se uma especialidade, uma parte do culto, que pode não acontecer se não houver um líder de adoração com seus respectivos colaboradores, também músicos. Portanto, adoração deixou de ser o culto propriamente dito, para ser uma parte dele. Para muitos irmãozinhos hoje em dia, se em determinado culto não houve um grupo à frente da igreja liderando uma grande quantidade de cânticos - mesmo que se tenha cantado ao Senhor, que se tenha orado e que a Palavra tenha sido lida e proclamada - não aconteceu a adoração. Ora, toda pessoa que lidera um ato de culto é um líder de adoração, seja pastor ou leigo, seja tal ato realizado num templo ou em outro lugar, simplesmente porque todo culto, em sua totalidade, é um ato de adoração.

E em relação a essa questão temos outro problema: tais líderes de adoração, ou seus equivalentes, passaram a assumir cada vez mais papeis que não lhes cabem nos cultos. Músicos são músicos, estão ali para executar e liderar a música, e não para fazer longas orações e longos discursos, quase sempre iguais e cansativos. Ou, pior ainda, para à moda de comunicadores de TV em seus programas mundanos, bradar palavras de ordem para o povo fazer isso ou aquilo. Recentemente um pastor da minha região contou-me que a pessoa que liderava os cânticos na sua igreja costumava estender-se largamente nessa prática, e depois desculpava-se dizendo para ele o seguinte: "Mas, também, depois disso o senhor nem precisa pregar!". Para a "infelicidade" do pastor e da igreja, tal irmão teve que ser excluído por problemas morais.

E aqui temos um outro problema sério. Antigamente, pastores e igrejas só permitiam que liderassem os cultos pessoas reconhecidamente consagradas, de bom testemunho da igreja e dos de fora, dedicadas em todo o trabalho, desde a EBD até os cultos de oração e de evangelização nos lares. Com o surgimento das equipes e dos "ministérios" (sic) de louvor, passamos a ter, em muitas igrejas, uma verdadeira aberração: pessoas sem nenhum compromisso com a igreja, sem vida cristã, passaram a liderar uma parte do culto. Muitos deles só chegam à igreja na hora de fazer a sua parte e nem participam dos demais atos do culto. Trata-se de uma verdadeira ofensa aos bons crentes que estão assentados nos bancos servindo como massa de manobra dessa gente. E mais, esses "adoradores" de domingo (na segunda-feira são outra coisa) prestam um péssimo serviço à causa de Cristo, com seu testemunho negativo. Por que as igrejas permitem isso?

Outra coisa que me incomoda e que tem a ver com o significado de adorar, é que o termo passou a incluir coisas estranhas ao culto, como dançar, pular, etc. Já viram alguém dançar ou pular inclinado com o rosto em terra? Impossível, não? Pois é, ainda que alguém, ironicamente, possa alegar que não tem visto ninguém em nossas igrejas adorando com o rosto em terra, quero responder que devemos, sim, preservar o simbolismo da figura e ter mais respeito pelo ato de culto, que é adoração a um Deus santo e puro, uma adoração em espírito, isto é, que se processa no nível espiritual, e não corporal. Um ato de profunda humilhação perante aquele que é Dono das nossas vidas. Aliás, contrariamente ao sentido do termo, nenhum líder de adoração costuma pedir que o povo se ajoelhe e se humilhe diante de Deus; pelo contrário, a primeira coisa que pede é que o povo fique de pé e faça gestos que não têm nada a ver com sentido bíblico da adoração.

Sei que alguns vão torcer o nariz para o que está dito aqui, talvez nem terminarão a leitura, mas o propósito deste meu humilde escrito é despertar os irmãos para buscarem na Bíblia o verdadeiro significado da adoração e praticá-lo. Pois muitos de nós estamos caindo no mesmo pecado do povo de Israel, que "inventou" uma adoração que Deus repudiou: "Esse povo ora a mim com a boca e me louva com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. A religião que eles praticam não passa de doutrinas e ensinamentos humanos, que eles só sabem repetir de cor. Por isso, mais uma vez vou deixar este povo espantado com as coisas estranhas e terríveis que farei no meio dele." (Isaías 29:13,14 - NTLH).

Pr. Silvio Macri

www.obereano.blogspot.com

5 comentários:

james disse...

Graça e paz vos sejam multiplicadas, amados irmãos.

Deus seja louvado! Este exímio texto exprime a real situação das igrejas denominações, aglomerações de um contingente evangélico (??), que não sabe discernir entre o espiritual e o carnal, pois vivem buscando bênçãos materiais na barganha com Deus através de seus dízimos ...

Um outro detalhe, que também salta aos olhos, é a necessidade de se terminar definitivamente com o termo ‘líder’, Pedro quando chamado por nosso Amado Senhor Jesus Cristo, foi chamado a “cuidar das ovelhas”, e não para “liderar as ovelhas”, tanto assim o é, que quando Pedro admoesta aos irmãos, também faz a mesma advertência: “Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; Nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho”.

Assim, quando um homem carnal, sobe de posição na igreja denominação, chamais quer dar exemplo e cuidar do rebanho, ele já se intitula ‘líder’...

“Deus não faz acepção de pessoas”, portanto, não há existir um ‘líder’, todos somos iguais perante o Senhor, alguns com maior responsabilidade, por maiores habilidades espirituais, outros, mais meigos, mas todos, todos somos iguais, ninguém é melhor que o outro, pode-se ter um talento a mais que o outro, mas isto não dá o direito de qualquer que seja, se postar como ‘líder’, principalmente os cantorzinhos...

Podemos ressaltar também que, a criação do “líder de adoração”, também se prende ao fato de que havia a necessidade de mais um título de superioridade a alguém que incomodava o pastorzão, o 'gran líder'...

Diante os carnais, e um povo que não busca ao Senhor em jejuns, orações e meditação nas Sagradas Escrituras, é que a adoração ao Senhor, digno de toda honra, de toda glória e de todo o poder, fica em segundo plano, quando existe, ou nas mãos de uma meia dúzia de chacais...

Fraternalmente.
James.
www.jesusmaioramor.blogspot.com

Anônimo disse...

CREIO QUE A ADORAÇÃO A DEUS PODE SER BEM RECEBIDA POR ELE SE, ESTA FOR FEITA EM ESPÍRITO E EM VERDADE COMO CRISTO NOS INSTRUI!!! DEUS NOS ABENÇOE.

Dc. Elder disse...

Que a Paz de Deus que excede todo o entendemento esteja em seu coração.
É realmente muito aproriado e em boa hora o seu entender daquilo que seja adoração.E espero que voce nao se importe que eu deixe uma pequena colaboração com relaçao ao termo grego " adorar".
O termo grego para adorar, como já disse, é Proskuneô que é " fazer mesura","fazer reverencia a", e é formado de pros para,e kuneõ beijar
e é aqui que a coisa fica interessante.
Ora, se podemos entender o termo "adorar" no sentido de "para beijar" podemos então perceber as implicações do ato de adorar.
Pois "para beijar" alguem são necesarias três coisas:
1) É necessario que eu conheca a pessoa.
2) É necessario que eu esteja proximo desta pessoa e
3) É necessario que eu tenha intimidade com esta pessoa.

Não se pode beijar quem voce não conhece, quem esta longe, e a quem voce nao tem intimidade. E infelizmente o que não falta na igreja hoje são pessoas que se enquadram neste perfil. Isto é, partindo do seu ponte de vista, a "adoração" tem sido conduzida por pessoas que não conhecem realmente a Deus,estão longe Dele, e nao têm intimidade com Ele; logo nao podem adorar. E o que dizer então do outro siginifcado do termo que é " fazer reverencia"? Adorar não é só louvar ou só louvor, antes é toda uma atitude de reverencia a Deus, desde o inicio do culto ao seu termino. Nao com conversas paralelas durante o culto, com senta levanta, vai no banheiro e volta e outras coisas que nao deveriam e nem devem acorrer em um culto de adoração. Adorar é prostar-se diante de Deus com temor e tremor, com um espirito quebrantado, com humildade e reverencia para que desta maneira o nosso culto posssa subir como cheiro suave às narinas de Deus, e se enquadre dentro da recomendação do apostólo Paulo:
" Rogo-vos pois irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrificio vivo,santo e agradável a Deus que é o vosso culto racional. Que Deus abençoe a todos.

Anônimo disse...

Obrigado por estas palavras santas cheias de verdade. Hoje de manhã estava conversando com meu pai que se nós não levantarmos a voz contra esses falsos e satânicos atos de adoração a verdadeira adoração desaparecerá! O que restará vão ser igrejas com shows culto. O púlpito irá desaparecer dando lugar há um palco. Os pastores não se portarão como cuidadores, mas sim animadores de palco com mensagens de extupendos efeitos especiais passageiros, mas que em nada diz a verdade e tão pouco amolece o coração contra o pecado. Batismos?! Serão tidos como shows e não um momento solene onde uma alma arrependida deseja seu renovo! Os propensos ministros do louvor deixarão de ler as escrituras e vão para aquilo que somente os agradam: músicas cheias de repetições sem sentido nenhum. Terem aulas de "adoração", etc. E assim serão enganados! Interessante é que estes "falsos cursos de adoração" não ensinam sobre o trabalho missionário, mas o mascaram de "a música evangeliza". Deste modo o diabo consegue prender as pessoas nas "quatro paredes" santas das igrejas. Pra quê eu vou estudar as escrituras? Pra quê eu vou sair para evangelizar? A música já faz isso por mim! Deste modo os demônios os enganam e os preparam para juntamente serem destruídos quando o Messias regraçar. Esses cursos não ensinam o amor ao próximo. Infatizam uma "louca paixão" por Cristo. Paixão nunca foi mencionada a D'us. Ela é humana. Suja! E sempre se relaciona ao pecado. Se estes tais estudassem sobre o que realmente é adorar vão saber que nada entendem e tão pouco adoram ao D'us do Cristo. Sou palestrante na área do resgate à verdadeira adoração. Sou da Adventista do Sétimo e tenho observado que este tipo de culto de vagar está entrando em nossas igrejas. Desenvolvi, pela força do Espírito e pelo Estudo das Escrituras essa palestra. Nela tenho enfatizado que adorar envolve tudo e todos os ministérios da igreja desde a irmãzinha que faz a limpeza ao irmão que atende à porta. São atos pequenos que nos elevam ao Trono. Não são músicas mirabolantes ou quantos gestos interessantes voce faz. Mas se voce realmente está servindo de cristão. Se voce está cumprindo o mandamento que diz: Ame a D'us e ame ao seu próximo. Se tal não é feito essa adoração é falsa. Como voce pode cantar sobre pregação e amor ao próximo se voce não o faz. Esses ministros de louvor estão se colocando num patamar do qual o Senhor não os colocou. Se denominam "levitas", mas de levitas não têm nada. Quem me dera se tivessem. Se eles soubessem quem foram os levitas teriam vergonha de mancharem tão nobre tribo! Creio que não possuímos esse sacerdócio. Somos agora segundo a ordem de Melquisedeque é este o Sacerdócio Real que o Povo do Cristo possuí. Muito mais excelente que este anterior! Na palestra levo os adoradores a pensarem sobre tão nobre chamado. Aprendemos sobre a importância de nos santificarmos pelas Escrituras. O que produz santificação não é nunca foi e nunca será a "emoção" que a música produz. Música é apenas um dos atos de gratidão que podemos ofertar ao D'us de Israel! O diabo têm enganado há muitos. Ele vendeu isso e muitos compraram. Eu prefiro adorar de forma que eu tenda que faça e que isso faça sentido.
Sou Maicson Leal
e foi um prazer aos meus olhos lerem estas palavras. Que o grande D'us antes do fim faça uma grande reforma mostrando e comovendo através de seu Santo Espírito àqueles que verdadeiramente o buscam e lhes conceda o poder para se levantarem nessa geração tão corrupta e hipócrita. Amém.
Um grande abraço santo!
maicsonsinger@hotmail.com

PS.: Gostaria de sua permissão para usar partes do seu texto em minha palestra. Obrigado!

Anônimo disse...

"Quer comais, quer bebais, quer façais qualquer outra coisa, fazei todas as coisas para a glória de Deus." - 1Coríntios 10:31

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!
[Identifique-se com o seu nome e e-mail]

Siga por Email

Assine O Bereano

Seguidores