domingo, 26 de abril de 2015

Denuncia!!! Você é pentecostal? Então não entre no Site O Bereano

Navegando aqui pela Net me deparei com um site penteca que trás em destaque na primeira página um artigo intitulado “Denuncia!!! Você é pentecostal? Então não entre no Site obereano.blogstop.com”.

Entre outras coisas, o autor escreve (veja o print do site no fim do artigo):

“- Desconfio de que ele (J.D.Berean), fez pacto com o diabo” [sic].
Não, eu não sou membro de nenhuma igreja pentecostal!

“- J.D.Berean é o inimigo, ou melhor, o arqui-inimigo dos pentecostes. Tenho a bíblia para corrigi-lo.” [sic].
Opa, isso já foi um elogio, rs! E já que tem a Bíblia, então, por favor, leia-a!

“-Que o Espírito Santo poupe o site da morte” (sic).
Amém, que o site sobreviva até a volta de Cristo!

Até aí, nenhuma novidade (já li outros sites descendo a lenha em nós), a não ser com a parte final do artigo onde o autor escreve:

“- Um amigo de J.D., Menno Simons, também blogeiro do Site, diz que 'não deseja o Espírito Santo pra não ser enganado' O Que?? O Espírito Santo não engana ninguém” [sic].

Eu ficaria super lisonjeado em ter como cooperador de nosso blog o Menno Simons, se não fosse por um simples detalhe: ele faleceu em 1561! E o pior foi a deturpação por parte deste “pregador/blogueiro pentecostal” da frase dita por Simons, demonstrando sua total ignorância somada a uma clara dificuldade de interpretação textual. Vamos a frase de Simons:

“Não sou nenhum Enoque, não sou nenhum Elias, não sou ninguém que tenha visões, não sou profeta que possa ensinar e profetizar algo além do que esteja escrito na Palavra de Deus e seja compreendido no Espírito. Mais uma vez, não tenho visões nem inspirações angelicais. Nem as desejo, para não ser enganado. A Palavra de Cristo, por si só, é suficiente para mim”.

Agora pergunto: em que parte da frase Simons diz que “'não deseja o Espírito Santo pra não ser enganado” [sic]? Aliás, o autor de tamanha asneira não sabe nem quem foi Simons!

Atenção pentecas: estudem a Bíblia e a história do Cristianismo antes de sair por aí escrevendo bobagens e passando vergonha (e o pior: envergonhando o Evangelho!

E para encerrar, gostaria de agradecer pela propaganda em seu site, pois muitos de seus leitores visitaram nosso blog! Valeu pelo apoio!

JD. Berean

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Que "senhor" é esse dos "marchadores"?

Nesta semana, no feriado,  aconteceu na cidade onde estou residindo atualmente mais uma edição da famigerada “marcha para gezuis”. O ritual é sempre o mesmo: um circuncidado mental assopra uma replica bem mal feita de um “shofar” (você pode comprar pela internet) e a algazarra tem inicio, com um bando de alienados com suas mentes cauterizadas seguindo cegamente seus “lideres espirituais” que os conduzem gritando palavras de ordem - como gado indo para o matadouro - de cima de um trio elétrico. O barulho é ensurdecedor e começa logo cedo, incomodando a cidade toda, não respeitando o direito ao descanso de quem trabalha a semana inteira e quer descansar um pouco no feriado.

A tal marcha segue pelas ruas da cidade, atrapalhando todo o transito e parando em “pontos estratégicos” para que os “ungidos apóstolos, bispos, reis e rainhas”, os quais se acotovelam em cima do trio elétrico tentando um aparecer mais do que o outro, possam falar suas “palavras proféticas” e gritar seus “slogans de poder” como a já manjada “esta cidade pertence ao senhor gezuis” e outras frases “de efeito” sem sentido para quem não pertença ao tal movimento. O destino final da tal marcha, como não poderia deixar de ser, é a praça de eventos da cidade onde uma “famosinha cantora Go$pil$”, que embolsou um gordo cachê, os espera an$iosa para mais um $how.

Fora a confusão ideológica deste movimento, pois ali nas ruas se misturam pessoas de várias seitas ditas cristãs - cada uma com doutrinas e credos diferentes - formando uma verdadeira “babel religiosa” - o que realmente me chama a atenção, e gostaria de destacar neste artigo, é o resultado espiritual/moral pratico que estas tais “marchas” causam nas cidades onde ocorrem. Moro, aproximadamente, há 15 anos nesta cidade e a tal “marcha” aqui acontece há 12 anos. Durante estes 12 anos de “marcha”, ouço esses “marchadores” gritando e determinando em alto e bom som que “esta cidade pertence ao senhor gezuis”, que “o inimigo caiu por terra”, “que o diabo foi destronado”, etc. Ouço também os lideres do tal movimento se gabando do grande número de pessoas que “aceitaram a gezuis” no (antibíblico) apelo feito durante o evento (aliás, qual gezuis, pois são inúmeras seitas diferentes reunidas ali) e de que o numero de “evangélicos” tem crescido muito na cidade.

OK, realmente o “povo evangélico da cidade tem crescido muito” (fato este constatado pelas inúmeras novas “igrejas para todos os gostos” que são abertas nesta cidade), porém algo muito estranho tem acontecido: um aumento gradual, ano a ano, da violência, da criminalidade e do tráfico de drogas (e, consequentemente, dos viciados). Durante estes 15 anos que moro aqui (e dos 12 de “marcha”) as coisas só estão piorando. Aí eu pergunto: que tipo de “evangelhicalismo” é esse? A prática do Evangelho Bíblico pressupõe uma mudança de mentalidade, de atitude, de caráter, de conduta, de moral. Quem roubava, não rouba mais. Quem adulterava, não adultera mais. Quem era desonesto, começa a agir com honestidade. Quem era viciado, se trata e abandona seu vicio e quem mentia, não mente mais. Então, que avanço “evangelístico” é esse onde não há mudança de caráter? Que movimento é esse que há 12 anos “declara profeticamente” que “gezuis é o senhor desta cidade”, mas o mal vem crescendo a cada dia, dando cada vez mais material para o jornais da cidade que outrora tinham que cassar histórias de saci e mula-sem-cabeça para vender!?

Para concluir, pergunto: que “senhor” é esse dos “marchadores”, a quem tanto gritam pertencer a cidade, uma vez que a Bíblia declara que o “deus e o príncipe deste mundo e século é o diabo” (2 Co 4.4; Jo 12:31, 14.30 e 16.11) e que este mundo “jaz no maligno” (I Jo 5.19)? A quem interessa está tal “marcha”, a não ser para a autopromoção de seus organizadores, muitos dos quais envolvidos com a política? Por que estes “evangélicos” estão tão preocupados em provar que o número de participantes em suas “marchas” é maior do que na tal da “parada gay”? Por que a participação das celebridades go$pil$ nas tais “marchas” são sempre bem concorridas, todos querendo fazer o $howzinho de encerramento e receber um cachê gordo? O Senhor não nos disse "Ide e marchai", mas "Ide e pregai o evangelho". E é isso que importa fazer!

JD. Berean

terça-feira, 21 de abril de 2015

Enéas Tognini - O Apóstata

Ontem um "pastor avivalista/pentecostal/renovado" completou 101 anos de vida e o que me deixou pasmo, tirando a espantosa longevidade (creio que DEUS está lhe dando tempo para se arrepender de todo o mal que causou no corpo de Cristo), foi toda a comemoração e bajulação em volta deste senhor chamado Enéas Tognini por parte de cristãos batistas. Por que afirmo isso? Explico abaixo!

Na década de 60, o então pastor batista Enéas Tognini resolve apostatar da sua fé e abraçar o maldito e satânico movimento pentecostal e, como é de costume de todo penteca, o mesmo, ao invés de se desligar da congregação e se unir a uma igreja pentecostal (até aí seria problema dele), resolve tentar "enfiar goela abaixo" dos membros da congregação batista do qual era pastor as heresias carismáticas.

Isto, logicamente, criou um clima muito ruim na igreja, gerando muita confusão e contenda, pois alguns fracos na fé e no entendimento abraçaram as ideias imbecis deste pastor e começaram a pressionar e até mesmo zombar e desdenhar de quem se mantinha fiel na Teologia Bíblica. Como já era de se esperar, isso causou um grande racha na igreja (típico do pentecostalismo) e uma grande ferida entre os irmãos fieis que foram obrigados a deixar sua congregação.

Para aqueles que não estão familiarizados com isso, vou exemplificar o que ocorre em um racha: quando é formada uma congregação, os membros se unem e num grande esforço compram um terreno e constroem a capela. As vezes passam anos e anos pagando as prestações do terreno. Quando tudo está pronto e acabado, chega um louco infectado pela doutrina pentecostal e acaba influenciando parte da congregação (as vezes a menor, porem a mais influente) e simplesmente racha a igreja e expulsa os cristão verdadeiros e ficam com tudo (isso acontece em muitas igrejas tradicionais, como batistas, presbiterianas e congregacionais). Conheço apenas um caso, em Minas Gerais, em que os membros fieis da congregação entraram na justiça, e por terem suas regras de fé bem explicitas e registradas em cartório, o juiz deu ganho de causa a eles e foram os pentecas que tiveram que se retirar da congregação.

O senhor Tognini não parou por aí. Após disseminar suas heresias na congregação, agora ele parte para tentar atacar e infectar a convenção batista e consequentemente, outras igrejas. Isso cria um novo embate e mais confusão e contenda, até que a CBB (convenção batista brasileira) se reúne e resolve cortar o mal pela raiz expulsando este senhor e os demais "pastores" que haviam abraçados tal heresia satânica (os expulsos se reuniram e formaram sua própria convenção: a CBN - convenção batista nacional). Mas já era tarde! O maldito vírus pentecostal já havia se espalhado e contaminado muitos, e suas consequências foram gravíssimas e são sentidas até hoje no meio batista e demais tradicionais. Congregações foram e são rachadas até hoje, causando muita confusão doutrinaria, famílias dividias, pessoas feridas na alma e uma série de bizarrices e fanatismo religioso. O estrago foi tão grande que, a medida que o fieis da CBB foram morrendo, os infiéis foram assumindo seus postos e hoje a CBB já está totalmente influenciada por essas heresias, chegando ao ponto de pedirem desculpas públicas a Tognini por terem expulsado-o da convenção!

Um só exemplo, para encerrarmos este post, do mal que este senhor causou ao corpo de Cristo: Enéas Tognini, juntamente com José do Rego Nascimento - outro apostata também ex-pastor batista que rachou sua congregação - são os responsáveis pela existência da maldita "igreja batista da lagoinha", berço dos "valadão" e do "diante do trono", responsáveis por grande parte das bizarrices e heresias do mundo "gospils"!

JD. Berean

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Jesus pagou ao diabo a dívida pelo nosso pecado?

É comum demais ouvir nos círculos pentecostais pregadores empolgados fazerem esse tipo de afirmação: "irmão, Jesus perguntou ao diabo: qual a dívida de fulano, satanás? Eu pago! Pago com o preço do meu sangue". E a igreja? Ah! A igreja vai ao delírio... Entretanto, para infelicidade dos animadores de auditório - confundidos as vezes com pregadores do Evangelho - afirmo categoricamente que esta é mais uma "estória pra boi dormir"! E não me importa que "grande pregador" já tenha usado essa estorinha para alegrar os irmãos, É UMA MENTIRA! UM ENGANO! UM EQUÍVOCO TERRÍVEL. E vou dizer o porquê em rápidas palavras:

A dívida do pecado NUNCA FOI uma dívida com o diabo! O homem, mesmo o mais desgraçado dos pecadores, NADA DEVE AO DIABO! O pecado é ofensa contra Deus, é transgressão às leis de Deus, é errar o alvo proposto por Deus (Jr 33.8)! Portanto, somos devedores daquele a quem ofendemos, aquele cujas leis nós infringimos. O homem pelo pecado acumulou imensurável dívida COM DEUS, sendo digno de morte por isso (Rm 6.23)! O pecado nos transformou em inimigos de Deus e atraiu para nós como um poderoso ímã a terrível ira do Todo-Poderoso. Somente o sacrifício do Inocente, do Justo, do verdadeiro Filho unigênito do Pai é que poderia aplacar tamanha ira, riscar a dívida de morte que tínhamos com Deus (Cl 2.14), e nos reconciliar com o SENHOR (Rm 5.1; Cl 1.20-21)! E foi isso que Jesus fez!

Jesus pagou ao Pai, cuja santidade não tolera o pecado, o preço pela nossa salvação! A DEUS, não ao diabo! Jesus nunca barganhou, nunca comercializou, nunca vendou ou comprou ao diabo a alma de ninguém! Aliás, o próprio Jesus disse que ele nada tem com satanás, o príncipe deste mundo! (João 14.30). QUE CONCÓRDIA HÁ ENTRE CRISTO E BELIAL? Perguntaria Paulo aos animadores de auditório que ocupam nossos púlpitos e nos enfadam com suas tolices! (2Co 6.15). E mais: a quem Jesus nos ensinou a orar pedindo perdão pelas nossas dívidas? Ao Pai ou ao diabo? "Pai nosso, que estás nos céus (...) perdoa-nos as nossas dívidas" (Mateus 6.9,12). Vamos ler a Bíblia, meus irmãos! Mais Bíblia e menos invencionice! Invenção causa animação, mas só a Palavra de Deus provoca edificação e transformação! (extraído)

Siga por Email

Assine O Bereano

Seguidores