terça-feira, 21 de abril de 2015

Enéas Tognini - O Apóstata

Ontem um "pastor avivalista/pentecostal/renovado" completou 101 anos de vida e o que me deixou pasmo, tirando a espantosa longevidade (creio que DEUS está lhe dando tempo para se arrepender de todo o mal que causou no corpo de Cristo), foi toda a comemoração e bajulação em volta deste senhor chamado Enéas Tognini por parte de cristãos batistas. Por que afirmo isso? Explico abaixo!

Na década de 60, o então pastor batista Enéas Tognini resolve apostatar da sua fé e abraçar o maldito e satânico movimento pentecostal e, como é de costume de todo penteca, o mesmo, ao invés de se desligar da congregação e se unir a uma igreja pentecostal (até aí seria problema dele), resolve tentar "enfiar goela abaixo" dos membros da congregação batista do qual era pastor as heresias carismáticas.

Isto, logicamente, criou um clima muito ruim na igreja, gerando muita confusão e contenda, pois alguns fracos na fé e no entendimento abraçaram as ideias imbecis deste pastor e começaram a pressionar e até mesmo zombar e desdenhar de quem se mantinha fiel na Teologia Bíblica. Como já era de se esperar, isso causou um grande racha na igreja (típico do pentecostalismo) e uma grande ferida entre os irmãos fieis que foram obrigados a deixar sua congregação.

Para aqueles que não estão familiarizados com isso, vou exemplificar o que ocorre em um racha: quando é formada uma congregação, os membros se unem e num grande esforço compram um terreno e constroem a capela. As vezes passam anos e anos pagando as prestações do terreno. Quando tudo está pronto e acabado, chega um louco infectado pela doutrina pentecostal e acaba influenciando parte da congregação (as vezes a menor, porem a mais influente) e simplesmente racha a igreja e expulsa os cristão verdadeiros e ficam com tudo (isso acontece em muitas igrejas tradicionais, como batistas, presbiterianas e congregacionais). Conheço apenas um caso, em Minas Gerais, em que os membros fieis da congregação entraram na justiça, e por terem suas regras de fé bem explicitas e registradas em cartório, o juiz deu ganho de causa a eles e foram os pentecas que tiveram que se retirar da congregação.

O senhor Tognini não parou por aí. Após disseminar suas heresias na congregação, agora ele parte para tentar atacar e infectar a convenção batista e consequentemente, outras igrejas. Isso cria um novo embate e mais confusão e contenda, até que a CBB (convenção batista brasileira) se reúne e resolve cortar o mal pela raiz expulsando este senhor e os demais "pastores" que haviam abraçados tal heresia satânica (os expulsos se reuniram e formaram sua própria convenção: a CBN - convenção batista nacional). Mas já era tarde! O maldito vírus pentecostal já havia se espalhado e contaminado muitos, e suas consequências foram gravíssimas e são sentidas até hoje no meio batista e demais tradicionais. Congregações foram e são rachadas até hoje, causando muita confusão doutrinaria, famílias dividias, pessoas feridas na alma e uma série de bizarrices e fanatismo religioso. O estrago foi tão grande que, a medida que o fieis da CBB foram morrendo, os infiéis foram assumindo seus postos e hoje a CBB já está totalmente influenciada por essas heresias, chegando ao ponto de pedirem desculpas públicas a Tognini por terem expulsado-o da convenção!

Um só exemplo, para encerrarmos este post, do mal que este senhor causou ao corpo de Cristo: Enéas Tognini, juntamente com José do Rego Nascimento - outro apostata também ex-pastor batista que rachou sua congregação - são os responsáveis pela existência da maldita "igreja batista da lagoinha", berço dos "valadão" e do "diante do trono", responsáveis por grande parte das bizarrices e heresias do mundo "gospils"!

JD. Berean

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!
[Identifique-se com o seu nome e e-mail]

Siga por Email

Assine O Bereano

Seguidores