sábado, 27 de dezembro de 2008

Aimee Semple McPherson

Aimee Semple McPherson foi a fundadora da igreja do evangelho quadrangular. Antes de fundar a ieq passou pelas igrejas, entre outras,  metodista episcopal e, por último, pela Assembléia de Deus de onde saiu para fundar a sua própria igreja. Ela foi influenciada por Pr. Durhram, o mesmo que havia influenciado Daniel Berg [que trouxe as assembléias de deus para o Brasil] e Louis Francescon [que fundou a congregação cristã no Brasil].

Segue abaixo algumas "curiosidades" sobre a fundadora da igreja quadrangular, Aimee Semple McPherson.

1. Ela se casou três vezes: um faleceu e os outros dois [maridos] pediram divórcio;

2. Após ser abandonada pelo segundo marido, se relacionou com o Sr. Kenneth Ormistron, que era um homem casado [isto não é pecado?];

3. Aos 40 anos de idade Aimee casou-se [seu terceiro casamento] com David Hutton, um cantor e ator, 10 anos mais jovem que ela. Isso causou grande controvérsia dentro da Igreja pois seu ex-marido, o Sr. Harold Mcpherson, ainda vivia (isso era contra a doutrina que ela mesmo havia estabelecido na Igreja);

4. Aimee Semple McPherson sofria de depressão e tomava anti-depressivos e tranqüilizantes para dormir [ela não era cheia do espírito e dos dons??!!];

5. Na noite do dia 26 de setembro de 1944, Aimee tomou vários comprimidos para dormir e deixou outros tantos em baixo do seu travesseiro. Foi encontrada morta no dia seguinte, em seu quarto. O laudo médico atestou "falha múltipla de rins e outros órgãos devido a uma overdose". As circunstâncias da morte de Aimee caracterizou um suicídio. [alguns adeptos de sua igreja alegaram "overdose acidental"?!?];

6. O "estranho desaparecimento" de Aimee: Em 18 de maio de 1926, Aimee e sua secretária, Emma Schaffer foram à praia. Aimee foi ao mar e não mais foi vista. Inicialmente, achou-se que tinha se afogado, e grande rebuliço aconteceu em todos EUA, especialmente em Los Angeles, centro de suas atividades evangelísticas. Equipes de busca foram organizadas, e incansavelmente buscaram o corpo da Sra. Aimee Semple Mcpherson. Uma jovem, devota de Aimee, mergulhou em sua busca e acabou morrendo afogada.

Todos lamentavam a sua morte quando em 19 de junho, 1 mês após o seu desaparecimento, sua mãe, Minnie, recebeu um bilhete exigindo $500 mil pelo resgate de sua filha, ou ela seria vendida como escrava. Minnie desconsiderou o bilhete por ter certeza de que Aimee esta morta. Dois dias depois, no dia 23, Aimee apareceu em Agua Pietra, no México, dizendo ter caminhado por horas no deserto após ter conseguido fugir do cativeiro em que era mantida após ter sido seqüestrada. Aimee foi recebida pelo povo como heroína.

O caso foi investigado, porém a polícia não encontrou indícios de seqüestro. O caso foi encerrado em 20 de julho, mas foi reaberto mais tarde com fortes acusações contra Aimee. A versão de Aimee foi a de que "um casal a procurou enquanto estava na praia para que fosse a sua casa orar por seu filho que estava muito doente. Ao entrar no carro do casal foi atacada, e desmaiada, foi levada ao cativeiro."

Após investigações, a versão policial: Aimee e o Sr. Kenneth Ormistron [o seu amante casado, citado no item 2] encontraram-se durante o mês do seu desaparecimento. Kenneth era engenheiro e trabalhava na rádio KSFG, do ministério de Aimee. Kenneth também desapareceu no mesmo mês do desaparecimento de Aimee. Pouco antes do episódio, a Sra. Ormistron havia se separado de Kenneth e ido para Austrália, sua terra natal, por ter provas de que seu marido estava se encontrando com uma outra mulher [neste caso, Aimee]. Os sapatos de Aimee, no dia que foi encontrada em Agua Pietra não demonstravam que ela tinha feito uma longa jornada pelo deserto. A partir de então, Aimee teve conflitos constantes dentro da sua própria família, o que era amplamente explorado pela mídia. Chegou ao ponto de se separarem e não mais se falarem. Em 10 de janeiro de 1927, o caso cessou;

7. O herético Benny Hinn costuma visitar o túmulo de Aimee, para receber a "unção" que flui de seus ossos [ela virou santa agora!!!???].

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Software para línguas estranhas

A semana retrasada quando saí da minha igreja e fui para a parada de ônibus, e o um grupo de crianças estava vindo do culto da assembléia de deus que não fica muito longe, e eles estavam treinando as "línguas estranhas" no meio da rua.

Até que uma das crianças disse para um maiorzinho que estava falando em "línguas": "Não, tá errado, não é sherebango, é sherebecantara o que o pastor disse".

Me lembrei então, de algo verdadeiro e que acontecia - quando eu ia nas igrejas pentecostais, muitas pessoas me disseram que falavam em "línguas estranhas" em casa, elas "treinavam" para fazer bonito na igreja. Segundo muitos, o "dom deveria ser treinado, para não desaprender".

Baseado nisso, estou pesquisando e já consegui funcionalmente criar um algoritmo que imita perfeitamente as línguas pentecostais.

Basta 5 sílabas diferentes para a "introdução da frase", 5 para o "desenvolvimento da frase" e outras 5 para o "fechamento da frase", mais umas 3 "frases de dissimulação" que os pentecostais usam para enganar os ouvintes e dizer que se trata de manifestação divina.

Depois, é só utilizar algumas pequenas variações como sílabas semelhantes.

Então, com um campo específico de poucas sílabas, através de uma variável conectada a um gerador randômico, e então voilá!!! O primeiro software gerador de "línguas estranhas"!

Para demonstração, uma pequena amostra - 999.999 linhas de "línguas estranhas" geradas em 50 segundos. http://acfsottja.googlepages.com/LinguasEstranhas.rar

Viu pentecostais, que invenção incrível?

Agora você não precisa mais assistir aos cultos do R[omildo]R[ibeiro]Soares, Marco Feliciano, e todos aqueles outros pastores estéricos da TV, e ir aos cultos e vigílias intermináveis. É só exercitar suas "línguas estranhas".

Agora você pode fazer tudo isso na comodidade do seu lar, com um programa que gera rapidamente centenas ou mesmo milhares de megabites de texto de "línguas estranhas" ininteligíveis, para você falar trilhões de horas ininterruptas, e exercitar todo o seu poder, e dar um show quando for na igreja.

Não é maravilhoso?

1Co 14:19 Todavia eu antes quero falar na igreja cinco palavras na minha própria inteligência, para que possa também instruir os outros, do que dez mil palavras em língua desconhecida.

Marcelo Gross - SS-TT

www.obereano.blogspot

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Mudou o significado da adoração?

Curiosamente, o substantivo "adoração" não aparece na Bíblia. E o substantivo "adorador" aparece apenas uma vez, em João 4:23. Todas as vezes que a Palavra de Deus toca no assunto usa o verbo "adorar", como nessa própria passagem de João, em que ele é pronunciado nove vezes.

No Velho Testamento, na esmagadora maioria das vezes, trata-se da tradução do verbo hebraico "sahah". No Novo Testamento é a tradução do verbo grego "proskyneo". Em ambos, o sentido é de prostrar-se, encurvar-se, inclinar-se, e sempre com o rosto em terra. Trata-se de um ato devido somente a Yahweh ou Jesus. Por essa razão é que Mardoqueu nunca se inclinava e se prostrava perante Hamã (o verbo é o mesmo), o que provocou a ira deste último (Ester 3:1-6).

Adoração é o ato de adorar. É a palavra correta para significar o ato de culto que se presta ao Senhor. É importante frisar que tal culto de adoração pode ser coletivo, familiar ou individual. Nos últimos tempos, porém, tem havido muita confusão sobre o que é, de fato, adoração. Nos Estados Unidos surgiu até uma classe clerical para cuidar do assunto: são os chamados "worship leaders" (líderes de adoração) cujos correspondentes no Brasil vêm a ser os "ministros de louvor" (sic), os quais invariavelmente são músicos, ou pretendem ser. Tal classe é um sub-produto das mega-igrejas e da indústria de entretenimento "gospel" americanas, coisa que, infelizmente, se reproduz no Brasil.

E aí está o primeiro problema: adoração tornou-se uma especialidade, uma parte do culto, que pode não acontecer se não houver um líder de adoração com seus respectivos colaboradores, também músicos. Portanto, adoração deixou de ser o culto propriamente dito, para ser uma parte dele. Para muitos irmãozinhos hoje em dia, se em determinado culto não houve um grupo à frente da igreja liderando uma grande quantidade de cânticos - mesmo que se tenha cantado ao Senhor, que se tenha orado e que a Palavra tenha sido lida e proclamada - não aconteceu a adoração. Ora, toda pessoa que lidera um ato de culto é um líder de adoração, seja pastor ou leigo, seja tal ato realizado num templo ou em outro lugar, simplesmente porque todo culto, em sua totalidade, é um ato de adoração.

E em relação a essa questão temos outro problema: tais líderes de adoração, ou seus equivalentes, passaram a assumir cada vez mais papeis que não lhes cabem nos cultos. Músicos são músicos, estão ali para executar e liderar a música, e não para fazer longas orações e longos discursos, quase sempre iguais e cansativos. Ou, pior ainda, para à moda de comunicadores de TV em seus programas mundanos, bradar palavras de ordem para o povo fazer isso ou aquilo. Recentemente um pastor da minha região contou-me que a pessoa que liderava os cânticos na sua igreja costumava estender-se largamente nessa prática, e depois desculpava-se dizendo para ele o seguinte: "Mas, também, depois disso o senhor nem precisa pregar!". Para a "infelicidade" do pastor e da igreja, tal irmão teve que ser excluído por problemas morais.

E aqui temos um outro problema sério. Antigamente, pastores e igrejas só permitiam que liderassem os cultos pessoas reconhecidamente consagradas, de bom testemunho da igreja e dos de fora, dedicadas em todo o trabalho, desde a EBD até os cultos de oração e de evangelização nos lares. Com o surgimento das equipes e dos "ministérios" (sic) de louvor, passamos a ter, em muitas igrejas, uma verdadeira aberração: pessoas sem nenhum compromisso com a igreja, sem vida cristã, passaram a liderar uma parte do culto. Muitos deles só chegam à igreja na hora de fazer a sua parte e nem participam dos demais atos do culto. Trata-se de uma verdadeira ofensa aos bons crentes que estão assentados nos bancos servindo como massa de manobra dessa gente. E mais, esses "adoradores" de domingo (na segunda-feira são outra coisa) prestam um péssimo serviço à causa de Cristo, com seu testemunho negativo. Por que as igrejas permitem isso?

Outra coisa que me incomoda e que tem a ver com o significado de adorar, é que o termo passou a incluir coisas estranhas ao culto, como dançar, pular, etc. Já viram alguém dançar ou pular inclinado com o rosto em terra? Impossível, não? Pois é, ainda que alguém, ironicamente, possa alegar que não tem visto ninguém em nossas igrejas adorando com o rosto em terra, quero responder que devemos, sim, preservar o simbolismo da figura e ter mais respeito pelo ato de culto, que é adoração a um Deus santo e puro, uma adoração em espírito, isto é, que se processa no nível espiritual, e não corporal. Um ato de profunda humilhação perante aquele que é Dono das nossas vidas. Aliás, contrariamente ao sentido do termo, nenhum líder de adoração costuma pedir que o povo se ajoelhe e se humilhe diante de Deus; pelo contrário, a primeira coisa que pede é que o povo fique de pé e faça gestos que não têm nada a ver com sentido bíblico da adoração.

Sei que alguns vão torcer o nariz para o que está dito aqui, talvez nem terminarão a leitura, mas o propósito deste meu humilde escrito é despertar os irmãos para buscarem na Bíblia o verdadeiro significado da adoração e praticá-lo. Pois muitos de nós estamos caindo no mesmo pecado do povo de Israel, que "inventou" uma adoração que Deus repudiou: "Esse povo ora a mim com a boca e me louva com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. A religião que eles praticam não passa de doutrinas e ensinamentos humanos, que eles só sabem repetir de cor. Por isso, mais uma vez vou deixar este povo espantado com as coisas estranhas e terríveis que farei no meio dele." (Isaías 29:13,14 - NTLH).

Pr. Silvio Macri

www.obereano.blogspot.com

Siga por Email

Assine O Bereano

Seguidores